19 de abril de 2021 Atualizado 11:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

CPFL vai ampliar capacidade em 12% de energia elétrica em Americana

Prestadora promete “novo patamar” no serviço oferecido em Americana depois da entrega da estrutura, prevista para 2022

Por Leonardo Oliveira

28 mar 2021 às 11:00 • Última atualização 29 mar 2021 às 09:08

Subestação está sendo construída na esquina das avenidas Nicolau Abdalla e Graciliano Ramos - Foto: Ernesto Rodrigues - O Liberal

A CPFL Paulista vai aumentar em 12,7% a oferta de energia elétrica em Americana depois que a nova subestação, em construção no Jardim Nossa Senhora Aparecida, ficar pronta, em 2022. A estrutura irá beneficiar, principalmente, a região do Pós-Anhanguera.

Segundo a companhia, a subestação terá uma capacidade instalada de 26.600 kVA (Kilovoltampere). A promessa da prestadora é de que a entrega das obras levará Americana a um “novo patamar de qualidade de serviço”.

O LIBERAL já havia revelado em dezembro do ano passado que o investimento para viabilizar a subestação seria de R$ 16 milhões e que beneficiaria cerca de 12 mil clientes da empresa na cidade. Ela está sendo construída em um terreno na esquina das avenidas Nicolau João Abdalla e Graciliano Ramos.

O aumento na potência da rede elétrica surge após estudos da CPFL e deve fazer com que o município suporte um crescimento na demanda pelo recurso no Pós-Anhanguera, região que tem um histórico recente de empreendimentos residenciais e comerciais aprovados e em construção.

Com mais casas e apartamentos, é aumentado o consumo de energia elétrica, por isso a iniciativa da companhia de se antecipar a esse movimento e aumentar a oferta. “Os investimentos proporcionam flexibilidade e confiabilidade ao sistema elétrico de distribuição, além de suportar o crescimento econômico no município e absorver as futuras demandas de energia por vários anos”, afirma a CPFL, em nota.

A reportagem questionou a CPFL se houve crescimento no consumo na cidade nos últimos anos e no período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mas a resposta foi de que, como ela é uma empresa de capital aberto, não poderia fornecer os dados. Além da subestação, haverá investimentos na construção de linhas de transmissão e redes de distribuição.

De acordo com a prestadora, serão beneficiados os distritos industriais de Salto Grande 1 e 2, bairros Antonio Zanaga 1 e 2, Vila Bela, Salto Grande, Jardim Nossa Senhora Aparecida, Vale das Nogueiras, Jardim Brasil, Praia dos Namorados, Vale das Palmeiras, Rivera Tamborlim, Iate Clube Americana e adjacências.

Publicidade