24 de janeiro de 2021 Atualizado 21:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Plano SP

Com novas regras, Estado mantém Americana e região na fase amarela

Avanço de fases terá novos critérios; reclassificação manteve atividades econômicas na região de Campinas

Por Marina Zanaki

08 jan 2021 às 13:24 • Última atualização 08 jan 2021 às 20:13

Mesmo reconhecendo um recrudescimento da pandemia, o Governo do Estado de São Paulo manteve a região de Campinas, da qual Americana faz parte, na fase amarela do Plano São Paulo.

Havia uma expectativa de que a região regredisse para a fase laranja do plano, mais restritiva, em função do aumento de casos, internações e mortes pelo novo coronavírus (Covid-19), o que não se confirmou.

Americana e região permanecem na fase amarela do Plano SP – Foto: Divulgação

A fase amarela na região de Campinas vai durar até a próxima reclassificação, marcada para o dia 5 de fevereiro.

Com a manutenção na fase amarela, não há nenhuma mudança nas regras para as atividades econômicas. Veja abaixo o que está em vigor:

As novas regras das fases laranja e amarela do Plano São Paulo – Foto:

O Governo de São Paulo esclareceu que a autorização para funcionamento do comércio de rua e shoppings por 12 horas, concedida em dezembro, não foi alterada. Apesar de não ter sido especificada no material oficial, ela deve constar na publicação do Diário Oficial deste sábado.

Mudanças

Novas regras foram determinadas para a mudança de fase, e a ocupação de leitos de UTI para que uma região passe para a fase laranja caiu de 75% para 70%.

Entre as 13 regiões que permaneceram na fase amarela, a região de Campinas é a que tem o maior índice de ocupação de leitos – 67,3%.

Apesar de a próxima reclassificação oficial estar marcada para o dia 5 de fevereiro, o governo de SP não descarta um recuo de fase antes disso caso seja necessário em alguma região.

Em função do critério de ocupação de UTI, três regiões do Estado entraram na fase laranja – Presidente Prudente, Marília e Sorocaba. A região de Registro foi classificada para a fase laranja em função do aumento de óbitos. Juntas, elas concentram 10% da população de São Paulo.

Laranja

As regras para a fase laranja mudaram, com uma maior flexibilização das atividades. Agora, todas as atividades econômicas podem funcionar (antes havia restrição, por exemplo, a salões de beleza e academias).

Além disso, houve aumento no percentual permitido de ocupação, de 20% para 40%, e o funcionamento permitido passa de quatro para oito horas diárias.

Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen disse que essas decisões foram um voto de confiança aos empresários que têm seguido os protocolos recomendados.

Em contraponto, o governo optou por restringir o horário máximo de funcionamento em uma tentativa de evitar aglomerações no período noturno. Levantamento do Centro de Contingência indicou que atividades realizadas à noite, como festas e confraternizações, têm aumentado a transmissão.

Assim, ficou determinado que todos os estabelecimentos comerciais fechem as portas para atendimento presencial às 20h.

Avanço

Seguindo recomendação do Centro de Contingência, o Plano São Paulo teve as regras para avanço à fase verde endurecidas. Para passar à segunda fase menos restritiva do Plano, será necessário ter menos internações e mortes.

Antes, era preciso alcançar 40 internações por 100 mil habitantes e 5 óbitos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias para evoluir para a fase verde.

Com a mudança, o critério fica: 30 internações por 100 mil habitantes e 3 óbitos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Publicidade