Entenda as mudanças na Área Azul de Americana

Prefeitura tirou cobrança de seis trechos na região central e planeja inclusão de outras vias; motivo alegado é baixa procura por vagas nestes locais


A Prefeitura de Americana informou nesta terça-feira que seis trechos de Área Azul serão desativados a partir desta quarta-feira. O motivo alegado é a baixa procura de usuários pelo estacionamento nesses pontos, de acordo com balanço da empresa Estapar, responsável pela administração do sistema.

Além disso, foi anunciado que outros seis trechos já foram definidos para receberem a Área Azul. Entretanto, não há prazo definido para começar a cobrança nesses locais, segundo a Utransv (Unidade de Transportes e Sistema Viário).

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Rua Presidente Vargas terá cobrança maior

As alterações em locais onde não haverá mais cobrança ocorrem em vias nas proximidades da CPJ (Central de Polícia Judiciária), que fica na Rua Dr. Cândido Cruz. O trecho do prédio da polícia, por exemplo, deixará de ser cobrado.

Já a inclusão de novos pontos de Área Azul está programada para a região da Vila Pavan, nas proximidades da prefeitura.

Questionada sobre mudanças, a Estapar informou que as alterações em andamento “foram definidas após estudo de uso e debatidas entre a empresa, a Prefeitura e o Ministério Público”.

O LIBERAL pediu para a empresa a média de usuários por dia nos trechos extintos e o quanto eles destoavam de locais com alta procura, mas os dados não foram fornecidos até o fechamento desta edição.

O presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Wagner Armbruster, disse que apoia iniciativas que facilitem para o cidadão e para o comércio. “A Acia percebe que a prefeitura está procurando dentro do possível adequar e inovar a realidade do trânsito de Americana”, afirmou.

MULTAS

A Área Azul da cidade triplicou de tamanho ao ser concedida à iniciativa privada em janeiro deste ano. As multas começaram a ser aplicadas, de fato, no mês de junho. Porém, a Administração se comprometeu a não multar ninguém que estacione sem pagar por até 30 minutos.

Oficialmente, nenhuma multa foi apresentada ao Ministério Público, que acompanha o serviço. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, a Promotoria foi avisada sobre o início da cobrança, mas era possível que o processo das mesmas não estivesse concluído. Por isso, eventuais notificações ainda não haviam se transformado em multas até aquela reunião.

A “isenção” para estacionamento de 30 minutos, alvo de debate, vai vigorar até que seja publicado um decreto regulamentando várias questões referentes à Área Azul. O promotor Ivan Carneiro Castanheiro conduz um inquérito civil sobre o assunto. Ao LIBERAL, ele disse que não foi informado sobre as mudanças de ruas.

“Na última reunião que tivemos essa hipótese foi aventada porque, segundo eles, alguns trechos estavam tendo baixa procura”, disse Ivan. “Vou aguardar alguns dias até o final do mês para receber essas notificações [das multas].”

O que muda: 

Trechos que não terão mais Área Azul

  • Rua Ipiranga entre a Rua Doze de Novembro e a Av. Rafael Vitta
  • Rua Dr. Cândido Cruz entre a Rua Álvaro Ribeiro e a Av. Nove de Julho
  • Rua Sete de Setembro entre a Rua Álvaro Ribeiro e a Av. Nove de Julho
  • Rua Álvaro Ribeiro entre ruas Ipiranga e Sete de Setembro
  •  Rua Comendador Muller entre ruas Ipiranga e Sete de Setembro
  • Rua Francisco Rubo (inteira)

Trechos que passarão a ter Área Azul

  • Rua Presidente Vargas entre ruas Gonçalves Dias e Achiles Zanaga
  • Rua Fortunato Basseto entre ruas Gonçalves Dias e Achiles Zanaga
  • Rua Ângelo Orlando entre ruas Gonçalves Dias e Achiles Zanaga
  • Rua Achiles Zanaga entre Rua Presidente Vargas e Avenida Brasil
  • Rua Niels Nielsen (inteira).
LIBERAL VIRTUAL Acesse agora