17 de setembro de 2021 Atualizado 22:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Agenda movimentada

Em plena pandemia, Marjorie Gerardi gravou série para o Canal Brasil, ganhou prêmio com projeto autoral e ainda atuou em ‘Gênesis’

Por Márcio Gonçalves - Tv Press

12 set 2021 às 08:25

O convite para a produção do Canal Brasil surgiu em fevereiro deste ano, pouco depois que suas cenas em “Gênesis” foram ao ar - Foto: Divulgação

Apesar de ter sido um período complicado para o audiovisual, Marjorie Gerardi conseguiu movimentar sua vida profissional durante essa pandemia do novo coronavírus. A atriz e bailarina participou da segunda fase de “Gênesis”, novela bíblica da Record, no papel da amorosa Heidi; foi vencedora do Rio Web Fest 2020, na categoria de Melhor Série de Quarentena, com o projeto autoral “Sintomas”; e aguarda a estreia, ainda sem data definida, da série “À Mesa”, do Canal Brasil, na qual interpreta Silmara. “Eu contraceno com o Marcos Suchara, que faz um chefe de cozinha francês, o Laurent. Vamos passar por uma constrangedora e divertida entrevista de emprego”, adianta.

O convite para a produção do Canal Brasil surgiu em fevereiro deste ano, pouco depois que suas cenas em “Gênesis” foram ao ar. O próprio diretor Rubens Rewald escreveu e ligou para Marjorie, que recebeu o texto e não hesitou em responder positivamente ao chamado.

“Na época da faculdade, em algum momento, fui trabalhar em um restaurante. Consegui, assim que li o roteiro, fazer uma viagem no tempo e voltar para aqueles dias”, lembra. A preparação para a personagem, no entanto, precisou ser feita remotamente. “Fizemos pelo Zoom, por conta da pandemia. Foram algumas leituras com a Rossana Foglia (diretora) e o Rubens, que deram apontamentos precisos para mim e para o Marcos”, explica.

A série, no entanto, teve de ser adiada em razão do aumento no número de casos de infecções por covid-19 no país. “Eu e Marcos aproveitamos esse momento para estudarmos juntos os personagens e as cenas. Ele foi um grande parceiro de cena”, exalta.

Para as gravações, realizadas em junho, algumas medidas tiveram de ser adotadas para preservar a saúde dos envolvidos. “Os protocolos de segurança do audiovisual são dos mais eficazes. Testagem diária, máscara N95 em toda a equipe, muito álcool em gel e distanciamento. Tudo higienizado e nós, atores, só tirávamos as máscaras quando o diretor falava ‘ação’. Assim que a cena terminava, era máscara de novo”, relata.

Ainda surpresa com a repercussão da websérie “Sintomas”, Marjorie assume que ver o mundo parar em função do novo coronavírus foi o que a motivou a se aventurar nesse projeto autoral. “O audiovisual estava parado, os teatros estavam fechados, mas a minha cabeça não parou. Fiz porque tive muito tempo livre para escrever, filmar e montar”, diz. Na verdade, o ponto de partida foi uma indicação da terapeuta holística da atriz. “Ela me falou para escrever algo e realizar. Sua voz ressoou tão forte dentro de mim que, no dia seguinte, a ideia já estava pronta na minha cabeça”, afirma.

Roteirizar e realizar “Sintomas” foi, sem dúvidas, um passo muito importante. “Estou terminando a segunda temporada, porque a pandemia não acabou e os sintomas dela só evoluíram”, entrega. O sucesso foi tamanho que seu trabalho ganhou espaço em grandes plataformas de streaming. “Nunca pensei no resultado, apenas queria fazer. Essa série despretensiosa só cresceu, ganhou novos públicos e, atualmente, pode ser vista no streaming da Vivo Play, no Now (Claro), no Amazon Prime Vídeo e no Looke”, conta, orgulhosa.

Publicidade