Com reservas, Colômbia mostra força, bate Paraguai na Fonte Nova e mantém os 100%


A Colômbia mostrou força, neste domingo, na Fonte Nova, em Salvador, ao vencer o Paraguai, por 1 a 0, com um time misto, em jogo válido pela terceira rodada do Grupo B da Copa América.

Os colombianos, que já tinham garantido a liderança da chave, mantiveram os 100% de aproveitamento e agora vão enfrentar o segundo colocado do Grupo C, que será conhecido na segunda-feira. Os paraguaios, que terminaram em terceiro lugar, com dois pontos, vão esperar os jogos desta segunda-feira para saber se continuam na competição.

Precisando da vitória para se garantir com folga nas quartas de final, o Paraguai começou forte no ataque, diante da Colômbia, que poupou quase todos os titulares. Em menos de dois minutos, já eram três finalizações, com destaque para a chance perdida por Derlis González, que, livre, chutou em cima de Montero.

A pressão sobre o Paraguai aumentou aos quatro minutos, quando foi anunciado o gol da Argentina em Porto Alegre, diante do Catar. Almirón arriscou de longe e errou. Ao perceber que a Colômbia estava acuada, o técnico Carlos Queiroz mandou o time forçar a marcação na saída de bola paraguaia, que passou a ter grande dificuldade em armar as jogadas e passou a tentar lançamentos, em sua maioria errados. O habilidoso Cardozo ficou isolado no ataque.

O panorama do jogo mudou totalmente. A Colômbia passou a ficar mais com a bola e, aos 14 minutos, quase abriu o placar com Cardona e Falcão Garcia. Borja e Luis Díaz, pelo lado esquerdo, infernizavam a zaga paraguaia. Aos 30, a ação colombiana no campo paraguaio deu certo. Falcao García roubou a bola na intermediária adversária, Arias tocou para Cuéllar pela direita. O jogador do Flamengo passou pela marcação e bateu sem ângulo. Gatito Fernandez falhou e a bola passou por entre suas pernas: 1 a 0.

O gol desestabilizou ainda mais os paraguaios, que quase viram Falcao García fazer o segundo. A torcida colombiana, enorme maioria no estádio, se entusiasmou e passou a gritar “olé” a cada toque de bola de sua seleção. O Paraguai só foi ficar perto do gol de Montero, aos 42, quando Matias Rojas cobrou falta em cima da barreira.

A seleção paraguaia veio para o segundo tempo com a intenção de aumentar o ritmo, mas erros individuais não permitiram que a equipe assustasse a Colômbia, que concentrou sua marcação em seu campo.

Aos 12 minutos, a Fonte Nova voltou a se agitar com a entrada de James Rodríguez no lugar de Cuadrado. E o craque só precisou de um minuto para quase ampliar a vantagem colombiana, ao disputar rebote de Montero. Na jogada seguinte, o meia esquerda finalizou na zaga. E ainda teve fôlego para cobrar escanteio na cabeça de Lerma, que forçou Gatito a fazer bela defesa.

A proximidade do segundo gol da Colômbia fez o Paraguai acordar. Aos 18, Derlis González, em jogada isolada, quase surpreendeu Montero. Mas quem tem James Rodrigues tem vantagem. Os ares do Brasil fazem bem ao meia, que não fez boa temporada pelo Bayern de Munique, mas foi um dos destaques da Copa do Mundo de 2014. O habilidoso canhoto fez lindo passe de trivela para o gol anulado de Luis Díaz e ainda desfilou talento e lindos dribles no campo defensivo paraguaio.

Sem talento e sem espaço para armar jogadas, o Paraguai passou a levantar bolas na área em direção ao grandalhão Cardozo. Aos 34, o atacante ganhou no alto, mas imprimiu pouca força na bola.

O problema colombiano é o excesso de confiança. O time passou a exagerar nos toques refinados e deu chance para o Paraguai. Por pouco Cristián Zapata não fez contra o gol de empate, aos 41 minutos. Os minutos finais foram bastante disputados, mas os paraguaios não tiveram força para conseguir o empate.

FICHA TÉCNICA
COLÔMBIA 1 X 0 PARAGUAI

COLÔMBIA – Montero; Arias, Cristián Zapata, Lucumí e Borja; Cuéllar, Lerma, Cuadrado (James Rodríguez) e Cardona (Barrios); Luis Díaz e Falcão Garcia (Duván Zapata). Técnico: Carlos Queiroz.

PARAGUAI – Gatito Fernández; Iván Piris, Gustavo Gómez e Alonso; Arzamendia, Richard Sánchez, Rodrigo Rojas (Iturbe), Derlis González (Óscar Romero) e Almirón; Matías Rojas (Cecílio Dominguez) e Cardozo. Técnico: Eduardo Berizzo.

GOL – Cuéllar aos 30 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Victor Carillo (Fifa/Peru).

CARTÕES AMARELOS – Borja, Lucumi e Arzamendia.

RENDA – R$ 2.581.785,00.

PÚBLICO – 11.313 pagantes (13.903 presentes).

LOCAL – Fonte Nova, em Salvador.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora