Cássio explica por que não usou verde na seleção

Goleiro disse que prefere treinar ou aquecer usando moletom e evitou polemizar em relação Palmeiras, arquirrival do Corinthians


O goleiro Cássio não entrou em campo na Copa América e por isso não teve que usar a camisa de goleiro verde. O titular da meta do Corinthians, no entanto, evitou usar a cor até mesmo em treinamento. Durante os aquecimentos antes do jogo, ele subia para o campo de moletom. Na entrevista coletiva desta quarta-feira, o jogador, em meio a risos, tentou evitar a polêmica com o arquirrival Palmeiras.

“Aqui no clube eu sempre treino de moletom, gosto assim, e coincidiu, era azul, a outra roupa era verde. A gente sabia diferenciar que representava um país todo, o Brasil, independentemente da cor. Tinha um que era verde, tinha dias que era meio frio e eu usava o moletom”, comentou o jogador.

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians
Goleiro Cássio preferiu se esquivar de polêmica sobre não ter usado verde nos treinamentos e aquecimentos da seleção brasileira

No Corinthians, do Parque São Jorge até a arena em Itaquera, a cor verde é proibida. Na época da construção do estádio, por exemplo, o então diretor de marketing Luis Paulo Rosenberg disse que o clube procurou um tipo de grama cinza. Mas o custo e a manutenção inviabilizaram a ideia e a casa alvinegra acabou com o gramado verde mesmo.

Mesmo com a seleção brasileira, Cássio disse que acompanhou de longe o período de treinamento dos companheiros de elenco. Na opinião dele, apesar de o time não ter ido bem nos amistosos, a intertemporada serviu para o técnico Fábio Carille fazer ajustes.

“A gente fica na seleção focado, mas é inevitável olhar. A gente viu os jogos, viu os resultados, mas esses jogos são para isso, para corrigir. Os amistosos serviram para ele ver onde os jogadores se sentem bem. Aqui no Corinthians temos que pensar jogo a jogo. Estou muito confiante com nossa equipe, vamos dar uma resposta boa em campo”, disse Cássio.

O lateral-direito Fagner também estava presente na coletiva. Ele concordou com o companheiro e afirmou que os amistosos serviram para Carille analisar melhor o elenco que tem em mãos. “Serviu como um teste para ele ver em que estágio está cada jogador. Nesta semana ele vai botar a equipe ideal na cabeça dele. Temos uma semana cheia para planejar melhor. A gente tem que pensar no próximo jogo. Mesmo com os resultados adversos nos amistosos, ele tirou bom proveito disso”, analisou.

O Corinthians volta a campo para valer neste domingo, às 16 horas, quando receberá o CSA, na Arena Corinthians, pela 10.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para a partida, Carille espera ter todos os titulares à disposição. Durante a pausa na Copa América, o treinador sofreu com as baixas. Nos três jogos que fez, o time entrou em campo com pelo menos sete desfalques.

Ainda se recuperam de lesão muscular o meia Jadson, o atacante Gustavo e o lateral-direito Michel Macedo. Os atacantes Clayson e Everaldo realizaram fortalecimento muscular e estão prontos para jogar. A principal expectativa, no entanto, fica em torno da estreia do zagueiro Gil. O jogador se juntou ao elenco nesta semana, mas ainda não tem data para entrar em campo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora