05 de março de 2021 Atualizado 12:49

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Em apresentação, Hernán Crespo promete um São Paulo competitivo e pede paciência

Por Agência Estado

17 fev 2021 às 14:55 • Última atualização 17 fev 2021 às 15:36

Um dia depois de desembarcar em São Paulo e conhecer um pouco da estrutura do clube no estádio do Morumbi, o argentino Hernán Crespo foi apresentado oficialmente nesta quarta-feira como o novo técnico do São Paulo. E foi direto em suas primeiras palavras na entrevista coletiva que concedeu no CT da Barra Funda, onde teve o primeiro contato com os jogadores: o time será competitivo, mas pede paciência para que seu trabalho seja feito.

“Para mim, jogar bem é buscar o gol adversário e sofrer poucas chances. Isso requer tempo e paciência. Os dirigentes estão de acordo. Nossa intenção é ter um rendimento constante alto, logicamente, mantendo o time competitivo. Vamos precisar do apoio de todos jogadores do elenco porque há uma quantidade enorme de jogos. Isso requer um esforço geral. Vamos ser competitivos nos torneios, com uma linha, uma identidade e com paciência para construir algo que possa durar pelo tempo e dar satisfação. É o que posso garantir”, afirmou.

Com bom humor, Crespo reconheceu as dificuldades financeiras do São Paulo, que terá poucos recursos para investir na nova temporada, que começará no próximo dia 28. “Informação nova, me disseram que teria muito dinheiro, falaram que poderia comprar todos”, brincou, antes de voltar a falar sério. “Não é isso, é consertar o que tem, mas não se pode esquecer nunca que a América do Sul é uma fábrica exportadora de talentos. É procurar, identificar e achar”.

O argentino elogiou o elenco atual, mas evitou fazer comentários mais aprofundados por respeito aos jogadores que ainda disputam a reta final do Campeonato Brasileiro. E disse que quer aproveitar o trabalho desenvolvido pelo antecessor Fernando Diniz.

“Estamos falando com a diretoria. Temos um elenco muito talentoso. Isso requer tomar decisões com muita calma. Começar a falar de nomes não tem sentido. Tem a reta final do Brasileirão. Seguramente não serão muitos reforços”, disse o técnico. “Seguramente vamos aproveitar o trabalho feito pelo Fernando. Há um trabalho feito e merece muito respeito. Cada um tem sua forma de conduzir e ver o futebol. Acho que podemos acrescentar coisas ao trabalho, para dar um passo a mais numa construção feita há um ano. Com muitas coisas estou de acordo, e para outras vamos colocar algo novo”.

ESCOLHA FÁCIL – Crespo revelou que foi muito fácil e simples o acerto com o São Paulo, mesmo com a concorrência de Santos e da seleção do Chile. “É uma consequência. Como jogador e treinador, quando as coisas saem bem, tem resultados, e a forma como obtém os resultados, é normal ter situações de novos times, seleções. Mas digamos que quando se deu a possibilidade de falar com a diretoria do São Paulo, foi tudo muito fácil e simples. Tem a ver com o sentimento, do que vibra, do que se sente. A conexão rápida com as pessoas. Gostei, me arrepiou a pele, me deu energia e me encantei. Houve pouco tempo para decidir. Mas os documentos dizem que precisamos esperar mais. Mas a escolha foi muito simples”, comentou.

Antes da apresentação oficial, Crespo reuniu o elenco no centro do gramado principal do CT, falou com jogadores como Daniel Alves e Juanfran e cumprimentou o técnico interino Marcos Vizolli e o coordenador de futebol Muricy Ramalho. O argentino disse que quer contar com os dois experientes jogadores, assim como Hernanes.

“Está mais do que claro. Os três que você falou – Daniel Alves, Hernanes e Juanfran – não precisam de apresentação. Mas qualquer decisão não parece correta de se tomar hoje e fazer publicamente, por muito respeito ao time. Tem possibilidade de título, fase de grupos da Libertadores. Qualquer coisa que diga pode desequilibrar. São coisas que têm influência direta no futuro. Gosto de dar oportunidade. Posso ter ideia, mas não tomei decisão e tampouco me parece correto comunicar hoje. Antes, prefiro falar com jogadores e depois com a imprensa. Não tenho decisão, e se tivesse tomado não diria, por respeito ao momento do time. Me parece correto não falar disso agora”.

Publicidade