26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Corinthians oficializa a doutora Ana Carolina na chefia do Departamento Médico de futebol

Por Agência Estado

23 de fevereiro de 2024, às 18h55

O Departamento Médico do futebol corintiano já tem nova chefia após o pedido de demissão de Fábio Novi. Trata-se da doutora Ana Carolina Ramos e Côrte, que está no clube desde 2018 e vinha sendo a médica responsável por acompanhar a equipe nas partidas.

“O Sport Club Corinthians Paulista informa que o Departamento Médico do Futebol Masculino será chefiado pela Dra. Ana Carolina Ramos e Côrte. Formada na Universidade de Brasília, pós-doutora em Medicina do Exercício e do Esporte pela USP, foi também gerente da área de saúde do Comitê Olímpico Brasileiro, onde permaneceu durante 10 anos atuando em dois jogos olímpicos – Rio 2016 e Tokyo 2020”, oficializou o Corinthians.

Ana Carolina se tornou a primeira médica de um clube profissional de futebol, estreando pelo Corinthians no dia 18 de junho de 2019, contra o CSA, na Neo Química Arena. Bastante respeitada pelos jogadores e profissional de excelência, ela coordenará o departamento que envolve as áreas de enfermagem, fisioterapia, massoterapia, nutrição e psicologia.

A meta inicial e desafiadora na nova função é deixar o centroavante Yuri Alberto recuperado de fratura na costela ainda para a primeira fase do Paulista, na qual o Corinthians buscará três vitórias nos jogos que restam, contra Ponte Preta, Santo André e Água Santa para tentar vaga nas quartas de final.

Nesta sexta-feira, enquanto os titulares que jogaram na estreia da Copa do Brasil diante do Cianorte (3 a 0 em Maringá) fizeram apenas um trabalho regenerativo, o atacante mais uma vez foi a campo Yuri Alberto já havia realizado o aquecimento e participado do bobinho na quarta-feira e luta para voltar diante do Santo André, dia 2 de março. No domingo, às 20 horas, o Corinthians recebe a Ponte Preta, mas a escalação é pouco provável, apesar de não estar descartada.

Publicidade