26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Corinthians aprimora finalizações após diversas chances perdidas contra a Ponte Preta

Por Agência Estado

28 de fevereiro de 2024, às 16h47

A primeira derrota no comando do Corinthians ainda incomoda o técnico António Oliveira. No revés por 1 a 0 diante da Ponte Preta, na Neo Química Arena, pelo Paulistão, foram 29 finalizações do time e nenhuma bola nas redes. Para evitar que as falhas se repitam, o técnico português colocou seu setor ofensivo para aprimorar os chutes nesta quarta-feira.

A atividade pela manhã foi dedicada exclusivamente à parte técnica. Enquanto defensores ficaram de um lado do campo aprimorando posicionamento – António Oliveira quer acabar com os gols bobos sofridos – do outro lado o treino visava justamente as bolas nas redes adversárias.

Depois de ver seus comandados anotarem 11 vezes nas quatro primeiras partidas sob sua direção, o técnico lamentou as falhas na primeira partida em branco do setor ofensivo e cobrou mais capricho e calma.

Os meias e atacantes tiveram uma movimentação de passes, cruzamentos e finalizações no CT Joaquim Grava para que o desempenho diante do Santo André, sábado, às 16h, novamente na Neo Química Arena, seja diferente. Diante do pior time do Estadual, a ordem é aproveitar as oportunidades. Mais uma vez a atividade contou com Pedro Raul, recuperado de lesão muscular, e de Igor Coronado, aprimorando o preparo físico.

“Pedro Raul está 100% recuperado e pronto para o treinador escalar se for a vontade dele”, afirmou a chefe do departamento médico corintiano, Ana Carolina Côrte, que pediu um pouco mais de paciência em relação ao lateral-esquerdo colombiano Diego Palácios.

“Palácios teve há três semanas e meia uma cirurgia de menisco lateral, está em processo de recuperação, já fazendo uns trabalhos de campo, corrida, começando esse processo final de reabilitação”, disse. “Mas ainda vai um pouquinho de tempo até recuperar a força muscular, o equilíbrio muscular para liberar para o trabalho em campo. Ele continua no departamento médico”, explicou.

Publicidade