21 de setembro de 2021 Atualizado 10:21

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Uma história viva

Em “O Anjo de Hamburgo”, Hugo Bonemer revive o sombrio período da Segunda Guerra Mundial

Por Caroline Borges - Tv Press

02 ago 2021 às 07:06

Além da série inédita, Hugo segue com seu trabalho no canal Like, onde apresenta matérias e coberturas de cinema e do streaming - Foto: Divulgação

Os horrores e os detalhes do nazismo, ideologia que induziu a Segunda Guerra Mundial, são conhecidos por todo o mundo. Tanto é que Hugo Bonemer acionou sua memória escolar ao ser chamado para participar do elenco de “O Anjo de Hamburgo”, primeira série totalmente em língua inglesa da Globo, em parceria com a Sony Pictures Television.

O ator, ao longo do processo de trabalho, não só relembrou as aulas de história do colegial, mas também pegou referências dentro de seu núcleo familiar para viver o judeu Günter Schmidt. “A minha grande inspiração foi na minha bisavó Maria Mommensohn. É uma história muito bacana. Ela era filha de desertores alemães que fugiram para se casar no Brasil”, explica.

A série, que é criada e escrita por Mario Teixeira, com colaboração da autora inglesa Rachel Anthony, vai narrar a ousadia de Aracy, o Anjo de Hamburgo do título, vivida por Sophie Charlotte, uma funcionária do consulado brasileiro na cidade alemã, que se casou com o escritor e cônsul adjunto Guimarães Rosa, interpretado por Rodrigo Lombardi. Ela foi a responsável a fornecer visto e ajuda a centenas de famílias de judeus que precisavam fugir da guerra – muito além da cota autorizada. Naquela época, o Brasil alimentava simpatia pelo regime nazista e, assim com outros países, impunha regras rígidas para a imigração de judeus.

“Estamos contando a história de uma heroína brasileira. Vamos ampliar o conhecimento dessa história importantíssima. Além disso, o projeto ainda me deu a chance de atuar em outro idioma. Era uma oportunidade única”, afirma Hugo.

A produção dirigida por Jayme Monjardim começou a ser gravada no começo do ano passando. Antes da pandemia de Covid-19, o projeto contou com gravações em Buenos Aires. Os trabalhos, no entanto, foram suspensos com o avanço da doença pelo Brasil. No início de 2021, as gravações foram retomadas nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, seguindo os novos protocolos de segurança e higiene no combate ao novo coronavírus. “Os protocolos nos deixaram muito seguros dentro do set. Ainda assim, todo o trabalho do ator ficou muito frio e distante. Precisamos de vacinas urgentemente”, ressalta.

Além da série inédita, Hugo segue com seu trabalho no canal Like. Em março, ele completou três anos à frente da programação, que apresenta matérias e coberturas dos principais lançamentos do cinema e do streaming.

“O Like se tornou um canal com credibilidade e a indústria audiovisual abraçou o canal com carinho. O balanço é totalmente positivo ao longo desses três anos”, vibra Hugo, que, por conta da pandemia, passou a gravar seu conteúdo de casa com o auxílio de uma equipe reduzida. “Tenho lidado com o isolamento, enfrentando todas as consequências existentes de me manter isolado. Meus projetos continuam existindo, e me dão esperança de felicidades profissionais nos próximos anos”, completa.

Publicidade