Obra do Teatro Municipal de Hortolândia tem 4 anos de atraso

Com prazo de entrega inicial previsto para agosto de 2015, Teatro Municipal de Hortolândia segue sem data para inauguração


A presidente ainda era Dilma Rousseff. Pelo país, disseminavam-se manifestações a favor do impeachment da petista. O então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, realizava um encontro histórico com Raúl Castro, mandatário de Cuba, simbolizando uma reaproximação entre os dois países. Dona da casa, a seleção chilena de futebol acabara de ser campeã da 44ª edição da Copa América. Esse era o mundo em agosto de 2015.

Mesmo mês no qual era prevista a inauguração do Teatro Municipal de Hortolândia, durante a Mostra de Teatro Na Lona, há exatos quatro anos. Com custo de R$ 2.238.775,51, o prédio até chegou a ser finalizado, em julho de 2018, mas até hoje não foi inaugurado.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Com custo de R$ 2.238.775,51, o prédio até chegou a ser finalizado, em julho de 2018, mas até hoje não foi inaugurado

A justificativa da prefeitura é a necessidade de adequações internas e compras de equipamentos, cuja verba é pleiteada junto ao governo federal. “Para a entrega do espaço falta finalizar o trabalho de adequação da parte acústica e a instalação de poltronas, cortinas, elevador de acessibilidade ao palco e equipamentos de som”, enumerou a prefeitura, em nota, acrescentando que também é necessária a compra de cadeiras.

E ressaltou que o município conta com outros espaços culturais: a Escola de Artes Augusto Boal, localizada no Jardim Amanda, e a Sala Maestro Eleazar de Carvalho, no Jardim Santa Cândida.
O Teatro Municipal tem capacidade para 250 pessoas e foi construído na Unidade Cultural Arlindo Zadi, na Rua Graciliano Ramos, 280, Jardim Amanda.

“É uma obra que vem se arrastando há alguns anos e ela, enquanto espaço para desenvolvimento de atividades artísticas, é muito importante e nesse momento eu acho que teria que liberar ele com o mínimo de estrutura possível para ser usado”, opina o produtor cultural Juraci Moreira, que mantém na cidade o Centro Cultura Casa de Joana, que soma dez anos de trabalho na cidade.

“Como atriz eu espero que ele seja entregue para a população o quanto antes, porque Hortolândia é uma cidade que tem muitos habitantes e com certeza precisa de um espaço para que aconteçam as atividades artística, para que venham artistas de fora”, avalia a atriz, dubladora e pedagoga Rita Oliveira, da Cia São Genésio.

Incentivo

Para Juraci, ainda mais grave é a falta de apoio aos artistas locais. “O fomento está previsto no Plano Municipal de Cultura e até hoje saíram dois ou três editais. Desde 2016 você não tem nada de efetivo na política pública. Não sai edital nem para fomento, nem para fruição de espetáculo teatrais, de dança ou de qualquer outra área”, afirma.

Em nota, a prefeitura afirmou que o último edital foi publicado em 2018, referente ao credenciamento de arte-educadores selecionados para ministrar cursos livres e profissionalizantes em espaços públicos culturais do município, e que ainda está vigente.

“A prefeitura liberou cerca de R$ 270.000,00 em 2018, e R$ 220.000,00 em 2017. Além disso, a Secretaria de Cultura investe, neste ano, R$ 980.000,00 no Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia (CEMMH), órgão da Prefeitura que atua na formação e fomento de músicos da cidade”, aponta.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora