Paulo Sparn quer popularizar Conselho Municipal de Cultura – O Liberal

Paulo Sparn quer popularizar Conselho Municipal de Cultura

Produtor cultural foi eleito o novo presidente do Comcult de Americana na noite da última quarta e espera levar produtos culturais à periferia


O produtor cultural Paulo Vicente Sparn foi eleito o novo presidente do Comcult (Conselho Municipal de Cultura) de Americana. A eleição da nova chapa aconteceu na noite da última quarta-feira, no CCL (Centro de Cultura e Lazer). Segundo Sparn, a ideia da nova diretoria é popularizar o acesso de artistas ao conselho, além de levar produtos culturais a bairros periféricos da cidade.

“Queremos fazer o possível para que os recursos do Fundo Municipal de Cultura de Americana contemplem projetos que atendam a periferia da cidade, locais que não são atendidos e onde as ações culturais hoje em dia são deficitárias”, explicou o novo presidente. A ideia de Sparn é levar a bairros como o Zanaga, Mathiensen, Praia Azul, Mario Covas, entre outros, aulas e atrações voltadas à dança, música, artes plásticas e teatro.

Foto: Divulgação
Wellington Negrão, Paulo Sparn e Júlio César: eleitos para o Comcult na última quarta-feira

Fazem parte da chapa eleita para a nova diretoria do Comcult Welington “Negrão” José de Oliveira (vice-presidente), Julio Cesar de Souza (secretário) e Enzo Hirose Jurgensen (2º secretário).
Além disso, o novo presidente afirmou que outro objetivo é ampliar as ações do Comcult.

“Hoje estamos muito restritos aos recursos do edital [que libera verbas para os artistas locais]. A minha ideia é criar mecanismos para que as empresas e a população possam contribuir para o Fundo Municipal de Cultura. Hoje, o produtor cultural tem muita dificuldade em recolher verba das empresas, mas com o carimbo do conselho e com o compromisso de fiscalizar o recurso, acredito que isso será facilitado”.

O primeiro passo para que tudo isso saia do papel, segundo Sparn, é a regularização do regimento interno do conselho. “Ficamos muito tempo com o conselho em situação irregular, e sem o conselho, ficamos também sem edital”, lembrou.

Com o regimento aprovado, o Comcult pode divulgar o edital para que os artistas locais submetam seus projetos para as câmaras temáticas, que escolhem quais projetos serão ou não beneficiados com a verba.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora