22 de janeiro de 2021 Atualizado 22:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Televisão

Jonathan Azevedo: encaixe perfeito de personagem

Ator relembra momento de “virada” na carreira na pele do controverso Sabiá de “A Força do Querer”

Por TV Press

08 jan 2021 às 07:31

Alguns personagens realizam a façanha de mudar completamente a vida de seus intérpretes. É por esse prisma que Jonathan Azevedo enxerga o traficante Sabiá de “A Força do Querer”. Apesar das atitudes violentas e pouco ortodoxas, o papel acabou caindo no gosto do público por conta de seu jeito extrovertido, seguro e cheio de bordões.

E, mesmo tendo entrado no meio da trama, foi um dos grandes destaques da novela, exibida originalmente em 2017, que voltou à faixa das 21 h por conta da quarentena.

Jonathan já acertou sua participação na segunda temporada de “Ilha de Ferro”, série da Globoplay – Foto: Divulgação

“Essa novela é, sem dúvida, o momento mais marcante da minha trajetória de vida. Sempre sonhei em conquistar um espacinho dentro da dramaturgia para viver da arte e dar uma condição de vida melhor para minha família. Ver isso acontecendo ao longo de cada capítulo foi muito gostoso”, derrama-se.

Inicialmente, Sabiá seria uma breve participação, funcionando como um dos desafetos e concorrentes de Rubinho, papel de Emílio Dantas. Ao ver a boa repercussão, Glória Perez tratou de criar uma parceria entre os dois personagens e o “dono do morro” foi ganhando mais falas e história própria dentro da obra.

“Lembro com muito carinho da primeira vez que subi a comunidade onde a trama era gravada. Essa subida era meu exercício diário e solitário. Mas o povo foi me reconhecendo e me parando para conversar e fazer fotos. Um dia, levei mais de uma hora para chegar à locação. Não existe reconhecimento melhor do que o contato direto com o público”, garante.

Junto com esse carinho do público, chegou também o reconhecimento interno da Globo que, em vez de pagar as diárias normais do elenco de apoio, ofereceu a Jonathan um contrato de longo prazo, o primeiro da carreira do ator com uma emissora de tevê.

A festa se instalou nos bastidores e Jonathan lembra com carinho as palavras de Juliana Paes, intérprete da passional Bibi, pouco antes de mais uma cena de ação da história.

“A gente se abraçou e eu comecei a chorar. Ela me disse que tinha chegado a minha hora e que era para eu viver esse momento com alegria, falando tudo o que eu sentia no fundo do meu coração. Acho que segui o conselho direitinho”, destaca, entre risos, mas com os olhos marejados.

ALÉM DO STATUS
Assustado com o sucesso repentino, Jonathan tratou de fazer boas conexões para seu nome ir além do status de simples aposta. Pouco antes do final de “A Força do Querer”, ele acertou sua participação na segunda temporada de “Ilha de Ferro”, série da Globoplay.

Com direção do cineasta Afonso Poyart, a produção retratava a rotina pesada e cheia de ação dos funcionários da PLT-137, plataforma de uma companhia de exploração petrolífera fictícia. Fincada em alto-mar, o local misturava condições de trabalho adversas, carência afetiva dos contratados e jogos de poder interno.

Nesse esquema, Fiapo era o braço direito do protagonista da história, Dante, de Cauã Reymond. “Fiapo era do tipo revolucionário. A função dele na série era lutar pelos direitos da classe. O personagem estava sempre pensando no coletivo”, ressalta.

Assim que as gravações da série terminaram, Jonathan teve apenas alguns dias para se preparar para o “Popstar”, competição musical entre celebridades onde pode mostrar todo seu gingado, afinação e experiência adquirida ao longo dos nove anos em que fez parte do grupo Melanina Carioca.

Carioca criado na Cruzada São Sebastião, conjunto habitacional no famoso bairro do Leblon, Jonathan sempre se interessou pelo mundo das artes. Aos 17 anos, conheceu o prestigiado grupo Nós do Morro e começou a aperfeiçoar suas noções de música e atuação.

Aos 34 anos, o ator acumula diversas “pontas” em novelas como “Páginas da Vida”, da Globo, e “Vidas Opostas”, da Record. Seu primeiro trabalho mais longo, entretanto, foi na temporada “Malhação – Conectados”, exibida em 2011. “Queria ganhar repertório e me sustentar. Então, aceitei tudo o que foi aparecendo. Tinha e ainda tenho muito a aprender”, analisa.

Atualmente, o ator se dedica a dois projetos importantes: cuidar do pequeno Matheus – seu filho de pouco mais de um ano de idade – e se prepara para protagonizar o longa “Faixa Preta”, onde interpretará Fernando Tererê, um dos maiores nomes brasileiros do jiu-jítsu mundial.

“Aproveitei essa pausa para me dedicar exclusivamente ao Matheus. Os projetos profissionais foram adiados para 2021 e a ansiedade de começar a trabalhar é grande”, avisa.

Publicidade