12 de julho de 2020 Atualizado 20:10

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Histórias

Curso forma 30 novos contadores em Hortolândia

Curso ministrado pela prefeitura de Hortolândia formou dezenas de novos contadores de história, com o objetivo de incentivar a leitura nas comunidades

Por Da Redação

03 dez 2019 às 07:47 • Última atualização 27 abr 2020 às 11:10

Um curso ministrado pela prefeitura de Hortolândia formou dezenas de novos contadores de história, com o objetivo de incentivar a leitura nas comunidades.

No total, 30 pessoas participaram da formação, gratuita, que terminou com um Sarau de Contação das alunas, realizado no Centro de Formação Paulo Freire, no último domingo.

Foto: Prefeitura de Hortolândia / Divulgação
A ideia do curso é multiplicar o número de pessoas preparadas para estimular a leitura em toda a cidade

A atividade faz parte do projeto Hortolendo de incentivo à leitura, uma ação do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), desenvolvido pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia.

Luzerilsa Moreira de Souza é manicure e artesã. A moradora do bairro Remanso Campineiro também já conta histórias por aí, mas quis fazer o curso para aperfeiçoar as técnicas. Nas horas vagas, ela é voluntária do Departamento Infantil da Igreja Bola de Neve.

Também faz parte do grupo Pelotão da Alegria, um grupo de palhaços que leva alegria para os hospitais. “Me interessei pelo curso para contar melhor as histórias, desenvolver melhor os projetos que já participo”, comentou Luzerilsa, uma das “formandas” do curso.

Ao expandir a formação de contadores de história para a comunidade, a Prefeitura quer multiplicar o número de pessoas preparadas para estimular a leitura em todas as regiões da cidade.

“Nós entendemos que a atividade de contação de história deve estar presente na comunidade e não só nas escolas. Deve estar nas praças, nas ruas, parques, em casa. Então, é um resgate de nossa história oral, é a valorização da diversidade da história de cada um de nós, das histórias normatizadas nos livros”, afirma a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Fagundes Freire.