30 de maio de 2024 Atualizado 00:00

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura na região

Criando o hábito da leitura: leitores dão dicas para aqueles que pretendem ler mais

O LIBERAL conversou com três leitores que leram acima da média nacional

Por Stela Pires

21 de abril de 2024, às 09h09 • Última atualização em 22 de abril de 2024, às 10h52

Criar o hábito da leitura pode não ser uma tarefa fácil. Os brasileiros leem em média cinco livros por ano. Destes, apenas metade são lidos até o fim, de acordo com a pesquisa “Retratos da Literatura”, realizada pelo Instituto Pró-Livro.

No Estado de São Paulo, do qual a RPT (Região do Polo Têxtil) faz parte, a média é um pouco mais alta. Os paulistas leem 6,41 livros no ano.

Hiago criou o hábito ainda quando criança e dá dicas para novos leitores – Foto: Leonardo Matos/Liberal

Os dados levantados compreendem as leituras realizadas pelos entrevistados no ano que antecedeu o “Retratos da Literatura”, que teve sua última edição divulgada em 2020. A pesquisa é realizada a cada quatro anos.

A criação do hábito de leitura, no entanto, não demandou muito esforço dos leitores da região. O assistente de encarregado Hiago Gabriel de Almeida Miranda, de 25 anos, morador de Americana, sempre gostou de ler.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Ele se diz apaixonado por bibliotecas, e o gosto somado aos kits distribuídos a estudantes pelo governo ainda quando era adolescente “só colaborou”.

“Me considero um leitor bem voraz”, contou. Hiago leu cinco vezes mais que a média nacional no último ano, um total de 25 livros. Ele aponta que o ritmo de leitura está mais lento por causa da sobrecarga do trabalho, mas de 2020 a 2024 já foram cerca de 140 livros lidos. Só em 2021 foram 50.

“O segredo é começar por gêneros que você se familiarize e se identifique, pois o que não falta são vários tipos de histórias sendo contadas”, disse.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

A meta de Hiago agora é tentar retomar o ritmo, para isso pretende ler três livros por mês ou um calhamaço (livro com mais de 500 páginas).

O jornalista Sílvio Medeiros, 56, também morador de Americana, já contabilizou 14 livros lidos desde o início deste ano, mas deixou de fazer metas de leitura desde 2017.

Apesar de não se atentar mais à quantidade, ele acredita ter lido cerca de 30 obras em 2023. O gosto pela leitura aconteceu dentro de casa por influência do próprio pai.

“Me lembro de o ver cercado de livros no final de semana em casa. Eram livros empilhados no criado mudo e ao redor da cama, e ele ilhado lá”.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Em sua infância, Sílvio e suas irmãs tinham à disposição a chamada “mesona”, uma escrivaninha grande com seis gavetas lotadas de livros, alguns até mesmo em cima do “tampo”.

“Aos nove anos de idade, ao revelar que a professora havia me dito que eu estava alfabetizado, ele me levou a um sebo e me deu meu primeiro livro, ‘Tibicuera’, de Érico Veríssimo. Foi aí que tudo começou”, contou.

No caso de Matheus Boina Coltro, 32, a profissão de historiador demanda a leitura. Ele sempre foi incentivado pela mãe a ler mais, mas não dava atenção até se interessar por “Senhor dos Aneis” e criar o gosto por ler.

“A partir daí não parei mais. Os livros foram minha segunda família”, disse. Até o momento, neste ano, já foram 14 livros, sem contar os outros 10 que Matheus está lendo simultaneamente. 

Confira as dicas dos leitores

Hiago Gabriel de Almeida Miranda: “Uma grande dica para quem quer criar o hábito de ler são os aplicativos de controle de leitura. Eu uso o Skoob, e lá você coloca os livros que você tem, quais gostaria de ler, faz histórico das suas leituras e, ao finalizar uma, pode dar uma nota e isso fica registrado no próprio app. É muito gostoso ver sua meta crescendo. Usar um Kindle é muito interessante também, é um e-reader e, além dos ebooks serem mais baratos que livros físicos, são bem mais confortáveis”. 

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Sílvio Medeiros: “Aproveite todo o tempo que seria ocioso ou perdido, como na sala de espera de um consultório médico. Eu já li até de pé em fila de banco ou sentado na espera de algum serviço. E se a pessoa não tem o hábito de ler e acha difícil, comece com livros menos extensos, com assuntos de seu interesse. Vale até revistas ou mesmo jornais. Eu mesmo comecei na infância lendo gibis”. 

Matheus Boina Coltro: “Para conseguir ter um hábito de leitura, precisa praticar sempre. Lógico, precisa também de tempo para cultivar o hábito, além do treino”.

As notícias do LIBERAL sobre Americana e região no seu e-mail, de segunda a sexta

* indica obrigatório

Publicidade