Ultrapassando os limites da teledramaturgia

Atriz renova todo o seu sucesso na pele da personagem Vivi na novela "A Dona do Pedaço", da Rede Globo


Sempre que Paolla Oliveira chega em algum lugar, todos os olhares se voltam para ela. Sorridente, simpática e dona de uma beleza incontestável, Paolla definitivamente conquistou seu lugar cativo na Globo. Com frequência, é escalada para protagonistas ou papéis de relevância na trama, como é o caso de Vivi Guedes, a “digital influencer” que encarna em “A Dona do Pedaço”.

Além de ter um perfil próprio no Instagram com mais de um milhão de seguidores, Vivi, através da interpretação da atriz obviamente, estrela uma campanha de uma marca de carro. “Fico muito feliz com essa coisa de se jogar de cabeça. Sou movida a paixão e estou apaixonada pela Vivi. E é isso que o público vê na tevê”, acredita.

Foto: Divulgação / TV Globo
Paolla Oliveira

Na história de Walcyr Carrasco, Vivi é uma blogueira de moda. Por isso, Paolla aparece nas cenas vestindo “looks” fashionistas e extravagantes. “Colocamos no Instagram dicas de moda da Vivi. Tudo é pensado para que a roupa seja um evento, para fazer as pessoas gostarem”, conta. A atriz também acredita que a personagem exerce uma função que vai muito além de falar sobre tendências de moda. Vivi reforça a mensagem de que a mulheres são livres para viver suas escolhas.

Como tem sido a repercussão de Vivi?

Paolla Oliveira
As pessoas compraram a ideia da personagem. É uma mulher vibrante, que fala dessa modernidade da internet. Ela também passa por muitos conflitos dentro da trama. Vivi é esse ser que vai levando tudo pelo caminho. Os seguidores do perfil no Instagram cresceram, os “seguimores” estão bombando.

E o que o público tem comentado sobre o casal inusitado que a personagem formou com Chiclete (Sérgio Guizé), que deveria matá-la?

Paolla
Na verdade, aconteceu uma coisa interessante com a Vivi. O público comprou a personagem antes mesmo de ela ter um grande conflito, comprou a personalidade, o trabalho, a irreverência, as roupas. Agora, eu vivo respondendo às pessoas sobre se Chiclete vai mesmo matar a Vivi. É uma boa novela, com boas tramas. Isso faz com que as pessoas parem você para saber o que vai acontecer. Estou curtindo.

Foto: Divulgação
Paolla Oliveira

Aliás, a parceria com Guizé tem dado o que falar…

Paolla
É bom, mas também veio bonito, o casal veio bem construído. A princípio, a Vivi tinha uma coisa mais morna, com um andamento mais conhecido ao lado de Camilo (Lee Taylor). Aí chega essa pessoa que é errada. É um romance fora dos padrões.

Na trama, Vivi já esteve com Maria da Paz (Juliana Paes) várias vezes, mas elas ainda não se reconheceram como sobrinha e tia. Assim como o público, você também fica na expectativa de quando essa revelação virá à tona?

Paolla
A gente fica na expectativa porque tem uma sinopse e a gente sabe que vai acontecer coisas. Outro dia, por exemplo, eu gravei uma cena com José de Abreu e ele disse: “saiu bloco novo, aconteceu isso”, mas eu não tinha lido ainda. A gente fica ansioso por esses grandes momentos dos personagens e essa descoberta do parentesco será um grande momento. Mas acho que ainda leva um tempinho para isso acontecer.

A Vivi cresceu bastante na trama. Você já esperava por isso?

Paolla
Eu acho que tem momentos. Todos temos momentos dentro da trama, o Walcyr faz isso muito bem. Por exemplo, em alguns blocos a história dela fica mais quieta. Aí, com a entrada do Chiclete, “bombou”, mas são momentos.

Como tem sido essa mistura entre teledramaturgia e internet, com o perfil de sua personagem no Instagram?

Paolla
Tudo aqui é um aprendizado porque estou fazendo uma personagem diferente das que já fiz e é um andamento novo para a emissora essa coisa junto com a internet. A gente está descobrindo como criar um engajamento sem ter coisas reais de uma “influencer”.

Como assim?

Paolla
Eu saio daqui e vou para a casa decorar as cenas de amanhã. Se eu tivesse de ir na quantidade de eventos que os fãs gostariam, o Walcyr deixaria a gente louco. Mas o perfil dela vai superbem. E a equipe faz um link cuidadoso com as cenas, o que é ótimo. Se a minha personagem posa para uma foto na história, essa foto existe e vai para o Instagram. Os vídeos que faço também vão. Então, criou-se uma vida paralela que é pensada fora as cenas. Tem sido uma jornada dupla.

Com a beleza em dia

Toda vez que grava uma novela, Paolla Oliveira precisa adaptar seus cuidados de beleza à rotina puxada de trabalho. Para ficar com o corpo em dia, exercícios físicos não podem faltar. Principalmente interpretando uma personagem que está sempre usando roupas que deixam as curvas da atriz mais expostas. Por isso, atualmente, ela malha às 7h da manhã. “A minha opção para esse momento de muito trabalho é fazer o tempo render”, explica.

Paolla até toma alguns cuidados com a alimentação. Mas não se priva de tudo. O que importa, para ela, é ter equilíbrio. “Às vezes, deixo de comer uma coisinha para poder ter outro prazer como tomar um vinho”, conta. “Só tendo equilíbrio para conseguir manter o ritmo e a saúde em ordem. Porque com essa correria a saúde também fica um pouco prejudicada”, acrescenta.

Com o foco na personagem

Toda vez que se compromete com uma personagem, Paolla Oliveira cria expectativas. Naturalmente, ela deseja que o trabalho seja bem-sucedido e com Vivi, de “A Dona do Pedaço”, não foi diferente.

Logo que começou a gravar suas cenas na trama de Walcyr Carrasco, a atriz percebeu que algumas pessoas falavam que ela não daria conta de interpretar uma “digital influencer” com as características de sua personagem. “Lá trás também havia pessoas que diziam que eu não conseguiria fazer uma lutadora”, lembra, referindo-se ao papel que viveu em “A Força do Querer”.

Mas, com o passar dos anos, as opiniões alheias passaram a interferir cada vez menos na vida de Paolla. Hoje em dia, ela se sente bem mais confiante para encarar os desafios da profissão. “Estou mais desenvolta porque estou na energia de que vou entrar ali no estúdio e interpretar a Vivi”, explica.

Instantâneas

# Paolla Oliveira começou a carreira aos 16 anos, como assistente de palco de Celso Portiolli nos programas “Passa ou Repassa” e “Curtindo uma Viagem”, do SBT.

# Em 2004, estreou como atriz na novela “Metamorphoses”, da Record.

# Em 2009, fez sua primeira vilã, a Verônica de “Cama de Gato”.

# Foi vencedora da “Dança dos Famosos 6”, do “Domingão do Faustão”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora