03 de dezembro de 2020 Atualizado 10:38

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Arte

Artista plástico de Americana integra exposição coletiva em Itu

Mostra “Meios e Processos”, que será aberta no sábado, reúne 19 artistas paulistas, entre eles o americanense Stenio Oliveira

Por Luciano Assis

29 nov 2019 às 08:00 • Última atualização 27 abr 2020 às 09:51

A importância do processo de criação é o foco da exposição “Meios e Processos”, que será aberta no próximo sábado na Fama (Fábrica de Artes Marcos Amaro), em Itu, reunindo 19 artistas, em sua maioria do interior paulista.

Entre os participantes está o artista plástico americanense Stenio Oliveira, que integra a exposição com a obra “Colmeia”, uma pintura expansiva composta por 22 mil canudos, estrutura de gesso, tintas, resinas, cordas e cera de abelha.

Foto: Arquivo pessoal
Artista plástico Stenio Oliveira posa com a obra “Colmeia”, que brinca com as sensações táteis e visuais das pessoas

As obras são fruto da proposta do curso “Meios e Processos de Criação”, ministrado pela artista e professora Katia Salvany durante oito encontros. “O coletivo passou por um criterioso processo de seleção pela Fundação, e procurou encontrar artistas que representassem diferentes cidades, principalmente do interior Paulista, tentando descentralizar um pouco as Artes Visuais da capital, e trazer um olhar para os artistas do interior”, comenta Oliveira, que integra uma exposição do espaço cultural pela segunda vez na carreira.

Além dele, integram a exposição os artistas Alexandre Silveira (Campinas), Dagô (Itu), Eliete Della Violla (Sorocaba), Fábio Florentino (Iperó), Gil (Sorocaba), Ilana Wajcberg (São Paulo), Bella Tozini (Cabreúva), Isis Gasparini (São Paulo), Larissa Camnev (Campinas), Lídice Salgot (Piracicaba), Luhly Abreu (Itu), Malu Pessoa Loeb (São Paulo), Marília Scarabello (Jundiai), Nathalia Favaro (São Paulo), Raffa Gomes (São Paulo), Silvana Sarti (Sorocaba), Tangerina Bruno (Porto Ferreira) e Thatiana Cardoso (São Bernardo do Campo).

A obra que representa Americana na exposição é, segundo o próprio artista, uma brincadeira com a plasticidade dos materiais e as sensações táteis e visuais que eles podem nos trazer.  “Geralmente busco trazer para o visual ideias sobre comportamento, o primitivo, o subconsciente e a gênese das coisas. E nessa obra irei trazer a sensação de tripofobia, que é uma sensação de repulsa ou medo de buracos aglomerados”, detalha.

Muitas vezes preteridos por artista da capital, o foco da exposição é trazer toda a riqueza e originalidade que hoje é produzida em diferentes cidades paulista, mas que muitas vezes não encontram divulgação nos grandes centros.

“Somos um grupo muito heterogêneo, com poéticas diferentes, e processos instigantes. Mas apesar de sermos um grupo muito heterogêneo, com meios e processos distintos, acabamos por encontrar no trabalho do outro, elementos que vão aos poucos sendo usados em nossos trabalhos. É uma construção orgânica. É sem dúvida, o melhor grupo com o qual já tinha participado no decorrer de minha carreira”, elogia Oliveira.

ACONTECE: A exposição “Meios e Processos” será aberta neste sábado, às 11h, na Fama (Fábrica de Artes Marcos Amaro). A entrada é gratuita. Rua Padre Bartolomeu Fade, 09, Fábrica São Pedro, Itu

Publicidade