Salão do Humor de Americana divulga vencedores

Entre os temas mais recorrentes na edição deste ano estão o uso das redes sociais e a tensão política no País


Uso excessivo de redes sociais, polarização política no Brasil, intolerâncias e denúncia contra a situação de estruturas públicas de atendimento, como a saúde, estão entre os temas explorados por vencedores do Salão do Humor de Americana neste ano. Personalidades e personagens conhecidos também ganharam traços marcantes em categorias como caricatura e mangás.

O 20º Salão do Humor Internacional em Americana teve 1.518 autores inscritos, 318 selecionados para exposição, 24 premiados e 10 com menção honrosa. Os trabalhos não expostos estão disponíveis na Biblioteca Municipal até 30 de junho.

Foto: Carlos Duarte
O compositor e instrumentista Pixinguinha na visão do caricaturista Carlos Duarte, vencedor da categoria em 2019

Categoria de destaque no salão, a caricatura teve como vencedor Carlos Duarte, que expôs um desenho de Pixinguinha. “Só trabalho com caricaturas grandes e nesse caso foram tamanho A3. Então, foi um desafio para mim nessa e outras que eu fiz, exclusivamente para o Salão de Americana”, conta Duarte, que tem 38 anos e a experiência de já ter participado e vencido em outros eventos do gênero, como o Salões de Humor de Juiz de Fora e de Mogi Guaçu.

A faixa etária, no entanto, foi diversificada. Na lista de revelações está o pequeno Davi Lazarim, que traz uma lição sobre a sociedade contemporânea em seu desenho.

“Com apenas 5 anos de idade, ele retratou a interferência da internet e celulares nas relações sociais. Ao invés da figura da mãe chamar-lhe para o banho, percebe que a personagem está distraída com o celular e ele passa a ser aquele que chama a atenção da personagem para tomar banho”, detalha o organizador do Salão, Geraldo Basanella.

Outro jovem premiado, de 11 anos, Daniel Fábio de Oliveira retratou quatro membros de uma família reunidos em um sofá, mas todos interagindo apenas com seus celulares.

Já a vencedora na categoria “charge ou cartum”, Bianca Marchi, de 13 anos, desenhou um cemitério logo na saída de um hospital, propondo reflexão sobre a estrutura das redes de saúde atuais.

O salão também evidencia o papel dos professores no envolvimento dos alunos com a arte, já que a organização abre espaço para prêmios a estudantes.

A professora de Artes Visuais Luciana Flavia Silva trabalha em quatro escolas e enviou 40 desenhos de alunos seus.

Neste ano ela foi a orientadora de Samantha Silva, que venceu a premiação do voto interativo (votação feita pelo público que vai ao salão). Samantha desenhou o personagem de mangá Naruto para o Salão.

“Ela coloriu muito bem, usou todas as técnicas passadas para ela. Quem quis participar eu recolhi desenho e enviei para a seleção. No dia do evento, fiz um quadro e enviei para o Geraldo [Basanella] em homenagem aos 20 anos do Salão de Humor de Americana, porque ele merece ser homenageado por isso. Faz com muito detalhe e muito carinho”, elogia a educadora.

Premiação

Charge / cartum

1º Bianca R Marchi (Escola Silvino)
2º Vilmara da C. Ferreiro (EE João S Pedroso)

HQ / Tirinha

1º Pedro Paulo Jensen (independente)
2º Amanda F Ribeiro (Escola Silvino)

Caricatura

1º Carlos Duarte (independente)
2º Maria Izabela (Escola Emilio Romi)

Mangá / Grafite humor

1º Geovana G. Bertassin (Escola Clarice C Conti)
2º Geovanna T de Oliveira (Colégio Objetivo Americana)

Voto interativo

1º Samantha de S e Silva (Escola Maia Frota)
2º Maria E de Souza (Escola Emílio Romi)

Revelação

Davi R Lazarim (5 anos) Emef Paulo Freire

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora