15 de junho de 2024 Atualizado 17:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Naty Camoleze

Como é definido o valor do ingresso do cinema? Entenda

Ver um filme nas telonas tem ficado mais caro; entenda o que você paga quando vai ver um filme no cinema

Por Naty Camoleze

01 de fevereiro de 2024, às 16h52

Foi lá em 1895 que os irmãos Auguste e Louis Lumière realizaram a primeira exibição pública cinematográfica. Segundo o Instituto de Cinema de São Paulo, esse evento é considerado por muitos como o marco inicial do que conhecemos como história do cinema, no entanto, a possibilidade de criação foi resultado do esforço de vários inventores que trabalharam para conseguir registrar imagens em movimento.

Ao longo de séculos foram pensados e desenvolvidos dispositivos que chegariam à técnica do cinema, como luz e sombra, reflexão e refração, estudos da óptica e muito mais, que fazem parte de um período chamado pré-cinema. Este tem início por volta do ano de 5.000 a. C., na China, com o “Teatro de Sombras”, uma arte antiga de contar histórias e entreter com bonecos através da projeção de sombras, em paredes ou telas de linho, de figuras humanas, animais ou recortes de objetos e cenários.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O Instituto de Cinema conta que no ano de 1895, os irmãos Lumière criaram, a partir do aperfeiçoamento do cinetoscópio, o cinematógrafo (de onde se originou o termo cinema). O aparelho desenvolvido por eles era o ancestral da filmadora e movido à manivela com negativos perfurados.

Como era leve, o instrumento facilitava filmagens externas e, ao longo dos anos, os irmãos usaram a câmera para fazer mais de mil curtas-metragens – a maioria retratando cenas da vida cotidiana. E, assim, o invento se transformou no aparelho preferido daqueles que desejavam registrar imagens em movimento.

Na sequência, a primeira “tecnologia cinematográfica” desenvolvida (primeiramente por Leonardo Da Vinci, no século XV, e depois por Giambattista Della Porta, no século XVI) foi a “Câmara Escura”. Consistia em uma caixa fechada com um pequeno orifício coberto por uma lente que permitia a entrada de luz. Assim, a imagem dos objetos exteriores era projetada no interior da caixa, de forma invertida.

Era uma descoberta da fotografia, uma vez que o princípio da propagação retilínea da luz permite que os raios luminosos que atingem o objeto e passam pelo orifício da câmara sejam projetados na parede da caixa paralela ao orifício, fixando sua imagem.

Ingressos do cinema ficaram mais caros – Foto: Arquivo/Agência Brasil

O valor do ingresso do cinema

Por que eu estou falando tudo isso? Para você perceber há quantos anos que temos essa arte que nos encanta tanto. Confesso que durante a pandemia da Covid-19 acabei deixando de lado a ida ao cinema e me aventurei e muito pelos streamings.

Mas se tem uma coisa que gosto é de comprar meu ingresso, sentar na poltrona, assistir aos trailers (pra já escolher o próximo filme) e com a minha pipoquinha curtir aquele momento. E ai de quem comece a falar no meio do filme…

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

Ao chegar no cinema nesses últimos tempos fui surpreendida pelos valores. Se formos pensar em ingresso mais pipoca mais algo para beber, já sai uns bons R$ 100. Agora, qual o porquê desses valores?

Antigamente, os cinemas custavam em torno de R$ 20, R$ 30. Os mais caros eram em salas diferenciadas, mas em qualquer opção o que não muda é a composição do preço: impostos, pagamentos de exibidor, distribuidor, aluguel.

O valor mais baixo do ingresso foi em 2009, quando a média estava em R$ 8,61. Desde então, a média foi subindo ano após ano, com pequenas variações nesta alta. O maior crescimento até então foi de 2014 para 2015, quando o ingresso subiu R$ 1,02. Mesmo em alta constante, o preço brasileiro ainda tem uma das médias mais baratas no cenário internacional, já que as moedas são convertidas em dólar e feita uma lista de preços.

Especialistas apontam que do valor total do ingresso, a média é de que cerca de 52,5% ficam com os cinemas, mas tudo pode variar. De sua fatia do ingresso, só o aluguel da sala pode começar em 5% e chegar em 15%. Em alguns shoppings o pagamento pode funcionar como uma porcentagem estimada do ingresso ou um valor fixo.

Do valor também saem 5% para o pagamento do ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) e 2,5% para o pagamento ao Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), pelo direito das músicas nos filmes.

O que sobra de tudo isso envolve a operação das salas, custos de colaboradores, água, energia etc. Alguns espaços investem nas salas VIP com comidas, bebidas, presentinhos e eventos na busca de aumentar o lucro.

E quanto o cinema paga pelo filme? Ou é um preço fechado ou por porcentagem, ou seja, valor em cima da bilheteria (o mais usual). No preço fixo é pago uma quantia e definido o tempo de exibição, por isso, alguns filmes ficam pouco tempo em cartaz. O lado ruim é que corre o risco de não atrair público e o valor arrecadado na bilheteria ficar abaixo do esperado, ou seja, tem o gasto, mas não tem lucro.

Público

O relatório dos Resultados do Cinema Brasileiro em 2022, da Ancine (Agência Nacional de Cinema), apontou a conta dos valores arrecadados em bilheterias nas salas pelo Brasil e entre filmes nacionais e estrangeiros, os cinemas arrecadaram R$ 1,78 bilhão, em comparação aos R$ 919 milhões acumulados em 2021, um aumento de 93,69%.

Em 2022, os filmes nacionais arrecadaram R$ 71,46 milhões e os estrangeiros, R$ 1,7 bilhão. Os cinco filmes nacionais mais vistos nos cinemas no ano que passou, segundo a agência foram:

  • Turma da Mônica – Lições (R$ 89 milhões)
  • Tô Ryca II (R$ 8,6 milhões)
  • Detetives do Prédio Azul III (R$ 8,1 milhões)
  • Medida Provisória (R$ 7,7 milhões)
  • Eduardo e Mônica (R$ 7,3 milhões).

No ranking dos filmes internacionais, a Marvel Studios conquistou o primeiro e segundo lugar com Doutor Estranho no Multiverso da Loucura e Thor 4: Amor e Trovão, ambos, respectivamente, com renda de R$ 167,6 milhões e R$ 856 mil, seguidos da animação da Universal Pictures Minions 2: A Origem de Gru.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Margot Robbie e Ryan Gosling, como Barbie e Ken, em cena de ‘Barbie’ – Foto: Warner Bros. Pictures

Até o momento de 2023, vimos um grande aumento do público nos cinemas, principalmente com o fenômeno da Barbie, que teve um marketing genial e atraiu muita gente as telonas e ainda vestindo rosa. O filme alcançou o valor de US$ 1,4 bilhão em bilheteria. Na sequência vem Super Mario Bros. – O filme, com US$ 1,3 bilhão, e Oppenheimer, com US$ 891 milhões.

E se você lendo isso se animou e resolveu aproveitar o cinema, minha dica é o filme Nosso Sonho, que traz a história de Claudinho e Buchecha, dupla que fez grande sucesso nos anos 90.

E aproveite e fique de olho nas promoções e descontos oferecidos pelas redes de cinema, que podem ser para estudantes, idosos, crianças, entre outros. Além disso, é comum que as redes realizem promoções especiais em determinadas épocas do ano, como na Black Friday, em períodos de férias escolares ou em dias da semana considerados mais tranquilos.

Texto publicado originalmente em 22 de setembro de 2023

Naty Camoleze

Jornalista, comunicadora e apaixonada pelo universo de filmes e séries, sempre busca algo escondidinho nos streamings para indicar