18 de julho de 2024 Atualizado 22:35

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde em Pauta

Alergia alimentar: é ou não é?

Por Paulo Renato Monteiro da Silva

12 de junho de 2023, às 11h23 • Última atualização em 24 de junho de 2023, às 13h12

É comum as pessoas confundirem alergias alimentares e intolerâncias alimentares. É importante saber a diferença, considerando que cada uma tem um tratamento diferente. E qual é essa diferença?

Quando falamos que alguém tem alergia alimentar, estamos dizendo que o sistema imunológico dessa pessoa está reagindo a (s) proteína (s) presente (s) em certos alimentos. Por exemplo: o amendoim, que tem potencial para provocar alergia grave, tem nas proteínas Ara h 1, Ara h 2 e Ara h 3 os gatilhos principais. Já na alergia ao camarão, que também costuma ter uma maior gravidade, temos na proteína tropomiosina o seu principal desencadeador, podendo essa proteína também estar presente em alguns mariscos.

Quando uma partícula do alimento ao qual a pessoa tem alergia é ingerida, o sistema imunológico entende isso como um agente agressor, uma verdadeira ameaça, passando a reagir contra, porém de forma desproporcional e inadequada, causando reações alérgicas que podem variar de leves, como: formigamento na boca, urticária e erupções cutâneas, até mesmo extremamente graves, como ter dificuldade para respirar, convulsão, com risco de morte real. Essas reações alérgicas, com algumas exceções, quase sempre acontecem rapidamente, no máximo até uns 90 minutos após a ingestão ou exposição ao alimento.

Na intolerância alimentar, o nosso corpo apresenta dificuldade para fazer a digestão de certos alimentos. E ao contrário das alergias, as intolerâncias alimentares não estão relacionadas ao sistema imunológico. Exemplificando, quando alguém apresenta intolerância à lactose significa que essa pessoa não tem a enzima (lactase) em quantidade suficiente para fazer a digestão da lactose, que está presente nos leites animais. Outra situação, quem tem intolerância à frutose apresenta falta da enzima frutase, portanto, ao ingerir frutas que tenham uma quantidade maior dessa frutose (é ela que deixa a fruta mais doce), sentem-se mal. E como são esses sintomas? Nas intolerâncias, a principal dificuldade é para fazer a digestão do alimento em questão, causando sensação de empachamento, barriga estufada, cólica, diarréia ou apenas mal-estar geral. De maneira geral, se você sentir desconforto por causa de algo que comeu no dia anterior, na maioria das vezes não é uma alergia.

Como saber se é alergia ou intolerância? Hoje em dia vivemos um aumento dessas duas situações tanto da alergia, quanto da intolerância alimentar e seu médico poderá lhe orientar da melhor maneira e sendo necessário uma avaliação especializada. Em casos de alergias alimentares com potencial de complicação maior (como amendoim, peixe, camarão), além de evitar o contato com os alimentos em questão, será orientado medicações para uma situação de crise mais intensa.

Paulo Renato Monteiro da Silva

O médico Paulo Renato Monteiro da Silva, especialista em alergologia e imunologia, fala sobre temas da saúde em alta e sobre como manter hábitos saudáveis