Ação leva comida para pacientes do pronto-socorro Afonso Ramos

Projeto é conduzido por membros da igreja Adoradores do Rei e visa levar momentos de conforto com a distribuição de lanches aos pacientes


A iniciativa de um grupo de voluntários tem aliviado a fome de pacientes que aguardam por atendimento no pronto-socorro Dr. Afonso Ramos, no Jardim Esmeralda, em Santa Bárbara d’Oeste. Eles são membros da igreja Adoradores do Rei e todas as quartas-feiras à noite oferecem lanche, café, leite e refrigerante a quem espera ser consultado. Tudo de graça.

“O pessoal não acredita. Pergunta quanto custa, se a gente é candidato a alguma coisa. Mas não. Estamos lá só para colaborar mesmo. Oferecemos o lanche, um abraço, aconselhamos, oramos. É um trabalho simples, mas que desperta um sentimento enorme de gratidão ”, diz a voluntária Luana Assis Werkling de Souza.

Segundo ela, a ação teve início há cerca de um ano por iniciativa do pastor Osmar Werkling. São quatro grupos que se revezam na ação.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Iniciativa ocorre semanalmente, sempre às quartas-feiras

Eles chegam ao Afonso Ramos por volta das 19 horas, montam a mesa e permanecem lá até os alimentos acabarem. Na maioria das vezes, ele acaba. Mas quando sobra, o excedente é distribuído a moradores de rua.

A igreja fica no Parque Zabani, em Santa Bárbara d’Oeste, e tem autorização da direção do equipamento público para fazer a ação na entrada do pronto atendimento. Exceto os pães – são 50 unidades doadas voluntariamente pela panificadora Santa Rita, no Jardim Nossa Senhora do Carmo, em Americana – todos os demais produtos oferecidos são comprados por meio de contribuições dos membros da igreja.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

O pastor Osmar conta que a ideia surgiu a partir de um curso de capelania, onde os participantes foram incentivados a fazer o voluntariado. A igreja já desenvolve trabalho com moradores de rua, e ele, então, teve a ideia de oferecer os lanches às pessoas que esperam por atendimento no hospital.

“Às vezes as pessoas ficam horas ali esperando pelo atendimento, sem condições de sair para se alimentar. Foi pensando nisso que montamos a mesa”, conta Osmar. Segundo ele, os grupos que se revezam na ação voluntária recebem treinamento antes de participarem da iniciativa.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Ação é conduzida por membros da igreja Adoradores do Rei

“O hospital é um ambiente onde há desde pessoas felizes pelo nascimento de uma criança até outras tristes porque perderam um ente querido. Então, os voluntários precisam estar prontos para absorver isso e abraçar as pessoas seja numa alegria tremenda ou numa tristeza profunda”, explica.

Na avaliação do pastor, a iniciativa promovida na entrada do Afonso Ramos poderia ser estendida a outras unidades de saúde com a ajuda de outras igrejas. Ele entende que o auxílio ao próximo vai ao encontro do verdadeiro significado da palavra igreja.

“Gostaria que outras igrejas também colocassem a mão na massa. Há vários hospitais na região. Não adianta ter grandes templos se o templo do Espírito Santo, que são as pessoas, não está sendo visitado”.

Se você conhece uma boa história que todo mundo merece saber, conte para a gente! Ela pode virar uma reportagem no LIBERAL. Escreva para redacao@liberal.com.br ou envie mensagem para o WhatsApp do LIBERAL, no (19) 99271-2364, clicando aqui.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora