Quase 4 mil exames aguardam laudos no Hospital Municipal

Prefeitura argumenta que acúmulo se deu em função da falta de digitadores e estima em dois meses prazo para normalizar


O Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi acumula 3.980 exames de raio X à espera de laudo. Segundo a prefeitura, o acúmulo é resultado da falta de digitadores por um período de dois meses. Diariamente, 230 exames do tipo são feitos em média no HM, considerando pronto-socorro e as internações.

A diretoria do HM garante que a emissão foi retomada, mas estima em dois meses o prazo necessário para a sua regularização. Para agilizar, o Hospital Municipal diz ainda que está em processo de licitação para a compra dos serviços de raio X já com o laudo.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal_3.4.2019
Direção do Hospital Municipal de Americana diz que está em processo de licitação para a compra do serviço de raio X já com laudo

A prefeitura não detalhou porque ficou dois meses sem digitadores e quantos desses profissionais fazem o serviço atualmente, mas enquanto ele não é colocado em dia a demora na obtenção do laudo já provoca reclamação de quem depende do documento.

O tecelão Arlindo Alves de Brito Filho informa que passou por uma cirurgia no braço e dependia do laudo para fazer a perícia no INSS e reivindicar o pagamento de benefício. “Não adianta levar o raio X sem o laudo porque o médico do INSS não aceita”, detalha o tecelão.

Ele esperou quase um mês pela emissão do documento e chegou a ligar várias vezes na ouvidoria do HM para reclamar da demora. A informação transmitida ao tecelão foi de que a aposentadoria de um médico do setor de raio X estava atrasando o processo. “Um hospital daquele tamanho tem que ter médico, né?”, critica.

Em nota, o hospital confirma a veracidade da aposentadoria, mas não vincula o fato ao acúmulo de exames à espera de laudo e garante que o trabalho não deixou de ser prestado em função disso. “Houve, de fato, a aposentadoria de um profissional de medicina, mas com a ajuda de outros profissionais isso não foi um impeditivo para a prestação do serviço”.

O HM também não informa se o profissional aposentado foi substituído, mas garante que o acúmulo de exames para serem laudados não vem comprometendo as situações de urgência e emergência atendidas rotineiramente pelo setor de raio X. Segundo a diretoria do hospital, os casos de maior gravidade estão sendo avaliados separadamente.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora