08 de maio de 2021 Atualizado 11:42

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Eletiva

Para reduzir fila, Chico promete 500 cirurgias de catarata

Volume é suficiente para diminuir cerca de um terço da atual fila em Americana

Por Marina Zanaki

22 abr 2021 às 07:53 • Última atualização 22 abr 2021 às 09:19

O prefeito Chico Sardelli (PV) promete realizar um mutirão com 500 cirurgias de catarata em Americana assim que houver redução dos índices da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O compromisso consta na revista dos 100 dias de governo.

A medida deverá solucionar cerca de um terço da fila de espera para a cirurgia, que está hoje em 1.757 olhos. O procedimento trata-se de uma cirurgia eletiva, modalidade que está suspensa em função da pandemia.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

A Secretaria de Saúde disse que os prestadores contratados para o serviço estão preparados para começar a operar assim que houver melhores condições. “Ainda não há previsão quanto ao início, uma vez que a Secretaria de Saúde aguarda as condições sanitárias adequadas para realizar os procedimentos”, explicou a pasta.

A aposentada Aparecida de Oliveira aguarda há quase dois anos e meio por uma cirurgia – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

A aposentada Aparecida Julio de Oliveira do Espírito Santo, de 74 anos, aguarda há quase dois anos e meio para realizar a cirurgia de catarata. A idosa conseguiu realizar o procedimento em um dos olhos, com a perspectiva de ser chamada em seis meses para fazer no outro, mas até hoje isso não aconteceu. “Vejo uma nuvem branca, é complicado”, disse ao LIBERAL.

Sua filha, a dona de casa Fabiana Regina Santarosa, de 41 anos, contou que a idosa pagou uma limpeza particular na lente do olho que recebeu a cirurgia. O médico alertou que a visão do olho que já foi corrigido está sendo forçada e pode ser prejudicada. O medo é que a idosa fique cega, situação que Fabiana viu acontecer com o pai.

“Meu pai já ficou cego por sete anos, não via nada, de catarata. Quando conseguimos cirurgia em Americana já não dava para fazer, estava grave e aqui não tinha recursos. Foi uma luta, conseguimos encaminhamento para Unicamp. Minha mãe fez depois dele, um olho só, e a coitadinha segue esperando”, disse Fabiana.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

No ano passado, a prefeitura chegou a anunciar a realização de um mutirão com 500 cirurgias de catarata. Contudo, a pandemia impediu que o plano fosse concretizado.

A ação seria custeada com uma verba federal de R$ 285 mil, mas em função da pandemia esse recurso não pode ser utilizado. “Por isso, a prefeitura irá contemplar novo projeto, utilizando recursos municipais, na ordem de R$ 400 mil reais”, disse a administração.

A fila da catarata estava andando em ritmo lento antes da pandemia do coronavírus, com realização apenas de procedimentos de urgência. Em março de 2020, a prefeitura alegou que isso ocorria pela falta de um cardiologista no município que realizasse avaliação prévia dos pacientes nessa situação.

A administração informou que essa exigência deixou de existir nos novos contratos. “Houve um novo chamamento para a realização de procedimentos oftalmológicos, inclusive catarata, e no novo protocolo proposto pelos prestadores não será mais necessária a consulta cardiológica para casos em geral. Nesse caso, será mantida a contratação de cardiologia que ocorreu em 2020”, afirmou a administração.

Publicidade