30 de novembro de 2020 Atualizado 13:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Pacientes reumáticos não encontram medicamento na Farmácia Central

A medicação Adalimumabe custa cerca de R$10 mil e está em falta há duas semanas

Por *Natália Velosa

29 out 2020 às 18:05 • Última atualização 30 out 2020 às 10:11

Pacientes reumáticos não estão encontrado o medicamento Adalimumabe, também conhecido por Humira, na Farmácia Central de Americana. O remédio, que custa cerca de 10 mil reais, está há duas semanas em falta.

O paciente Ademir da Silva Miranda, sofre de espondilite e realiza o tratamento há seis meses. Ele precisa mensalmente de uma caixa do medicamento, que contém duas seringas. Desde o dia 19 de outubro, ele tem sido reagendado para retornar semanalmente na farmácia, mas até o momento não conseguiu.

“Eu vou ter que voltar ao médico, porque meu tratamento foi interrompido e vou ter que iniciar do zero”, lamentou.

Além dele, Messias Chiaranda, de 55 anos, também sofre de espondilite e tem se preocupado com a falta do Humira. “Faço o tratamento há seis anos e há duas semanas não consigo o remédio. É um descaso com a população”.

Fila
A fila na Farmácia Central também tem sido alvo de reclamações. De acordo com Messias, o poblema iniciou em março, quando começou a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a ida no local passou a ser por agendamento.

“Eles só agendam o dia que a pessoa vai e todo mundo vai no mesmo horário. Eles aindam atrasam para abrir e acumula ainda mais. Pelo menos de manhã é bem crítico”, reclamou Messias, que ficou cerca de 2 horas esperando.

Além disso, reclamou da organização dos funcionários, que ficam apenas um ou dois atendendo. “Teve uma senhora que chamou a GAMA (Guarda Municipal de Americana) hoje por conta da confusão”.

Em nota, a prefeitura informou que o medicamento Adalimumabe faz parte do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Alto Custo), financiado e gerenciado pelo Estado e União.

“Cabe ao município instruir a população sobre o processo de aquisição e fazer a logística para que o medicamento chegue à Farmácia Central para ser entregue ao usuário. Segundo informações da farmácia do Departamento Regional de Saúde de Campinas (DRS-7), a entrega realizada pelo Ministério da Saúde está atrasada e não há previsão de chegada”, informou.

Sobre a reclamação de aglomeração, a Prefeitura de Americana garantiu que nesta quinta-feira, às 7h32 os funcionários já haviam distribuído as senhas e iniciado o atendimento. A administração lembrou que é necessário agendamento prévio para ser atendido.

Sobre a Gama, a prefeitura ressaltou que os patrulheiros estiveram no setor para atender um chamado de uma funcionária da farmácia, por desacato de paciente.

*Estagiária sob supervisão de Luciano Bianco

Publicidade