13 de junho de 2021 Atualizado 13:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

1ª vez

Novo bispo celebra missa em Americana e pede paciência a fiéis

Dom José Palau lembrou que todos casos de pedofilia são julgados por uma congregação, ao comentar sobre investigação que envolve o padre Leandro

Por George Aravanis

01 fev 2020 às 08:34 • Última atualização 08 jun 2021 às 10:21

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Dom José Roberto Fortes Palau na paróquia São João Bosco

O novo bispo de Limeira, dom José Roberto Fortes Palau, pediu ontem, em entrevista ao LIBERAL, que os fiéis tenham paciência com o julgamento do padre Pedro Leandro Ricardo pela Igreja Católica. Leandro está afastado do comando da Basílica de Americana há um ano sob suspeita de abusar de ex-coroinhas.

Palau esteve pela primeira vez em Americana para celebrar missa em homenagem a São João Bosco, na paróquia de mesmo nome, na Vila Santa Catarina.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Clique aqui e envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Após a celebração, o bispo disse à reportagem que o papa Francisco quer dar agilidade a casos de pedofilia, mas todos os julgamentos do mundo ficam concentrados na Congregação da Doutrina da Fé, em Roma, justamente para que não haja acobertamentos.

“O papa Francisco quer transparência em tudo. Acontece que a congregação julga os casos do mundo inteiro, por isso que leva um certo tempo. E tem o devido processo, porque a pessoa que é acusada também faz a sua defesa, isso tudo é enviado para lá, aí a Santa Sé analisa todos os depoimentos, as vítimas, aí ela dá a sentença”, disse Palau, que não teve relação com a investigação.

O caso foi enviado a Roma por dom Orlando Brandes, que administrou a diocese até que ele assumisse a vaga de Vilson Dias de Oliveira, bispo que renunciou sob suspeita de acobertar supostos abusos de Leandro e também de extorquir dinheiro de padres para uso pessoal – Vilson e Leandro negam os crimes.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

O desfecho do caso na esfera católica pode ser a expulsão de Leandro da Igreja. Mas o padre também é investigado no âmbito criminal. O Ministério Público o denunciou por abuso de quatro ex-coroinhas em Araras entre 2002 e 2005.

Em seu discurso nesta sexta, Palau pregou a humildade, uma das características de São João Bosco.

Questionado se encontrou algo de excessivo na diocese que fosse preciso mudar, disse que “não deu tempo ainda” – ele assumiu o cargo dia 18.

Palau disse que não está morando na Casa Episcopal, e sim em um apartamento da diocese, assim como fazia em São Paulo, onde era bispo auxiliar. E lembrou que o papa recomenda a simplicidade. “[O apartamento] Não é grande, mas é o suficiente para mim, não preciso de lugar grande.”

Comissão

Após os escândalos de abuso sexual que atingiram líderes católicos locais, a Diocese de Limeira criou em dezembro do ano passado uma Comissão de Denúncias para receber queixas de abusos sexuais cometidos por clérigos e religiosos.

O órgão, que começou a operar no primeiro semestre, já analisa casos, que correm sob sigilo. Para entrar em contato com a comissão, é preciso ligar na Cúria Diocesana, no telefone (19) 3441-5329.

A criação da comissão seguiu decreto do papa Francisco, que determinou que até junho de 2020 todas as dioceses do mundo tenham sistemas acessíveis para receber as queixas.

Além da Capa

a 13ª edição do podcast Além da Capa, do Grupo Liberal, repercutiu a denúncia do Ministério Público de Araras contra o Padre Pedro Leandro Ricardo por quatro crimes de atentado violento ao pudor. Ouça o episódio:

{{1}}

Publicidade