02 de julho de 2022 Atualizado 17:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Ex-agente penitenciário e outro homem são presos com armas e munições em Americana

Na casa de um do ex-agente, policiais encontraram munições para fuzil, algemas, revólver e munições

Por Maria Eduarda Gazzetta

02 de dezembro de 2021, às 16h51 • Última atualização em 02 de dezembro de 2021, às 17h39

Munições foram apreendidas na casa de um dos suspeitos - Foto: Gama/Divulgação

Um ex-agente penitenciário, de 56 anos, e um outro homem, de 51 anos, foram presos no fim da manhã desta quinta-feira (2), no Jardim São Paulo, em Americana. Eles estavam com duas armas, munições e colete de agente de escolta. Na residência do ex-agente, policiais encontraram munições para fuzil, revólver e algemas.

De acordo com informações da Gama (Guarda Municipal de Americana), a equipe em conjunto com a Polícia Militar foi até à Rua dos Salgueiros, onde teria um homem, com um carro modelo Honda Civic, que estaria armado e ameaçando um outro rapaz.

O homem, segundo a PM, estaria bêbado e informado aos policiais que era um ex-agente penitenciário. Ele disse, ainda, que iria matar o flanelinha que o ameaçou anteriormente e que teria outra arma em sua residência. No veículo dele, as equipes encontraram uma escopeta calibre 12 com munição, mais seis munições, um cassetete e um colete de agente de escolta.

Uma outra equipe de patrulheiros foi à casa do suspeito e encontrou um outro homem saindo da residência com uma mochila. Dentro dela os guardas localizaram uma pistola calibre 635 com munições e uma pistola de brinquedo.

Em contato com a dona da casa, ela permitiu que a equipe entrasse no local, que localizou no imóvel um revólver calibre 22, onze cartuchos calibre 12, 74 munições calibre 380, 37 munições calibre 32, dezoito munições calibre 38, 99 munições calibre 22, munições de fuzil, algemas, coldres – estojo para guardar revolver – e porta munições.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Segundo informações da Gama, as armas possuíam numerações, mas não constavam registro. A dupla foi encaminha a CPJ (Central de Polícia Judiciária), onde permanecem à disposição da Justiça.

Publicidade