02 de julho de 2020 Atualizado 18:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Escola de Americana obriga aluno a usar camiseta com a palavra ‘empréstimo’

Medida revolta mãe de estudante da escola estadual do Jardim Alvorada e é criticada por pasta, que manda abrir sindicância

Por George Aravanis

18 fev 2020 às 09:44

Um menino de 8 anos sem uniforme foi obrigado pela direção da escola estadual Maestro Germano Benencase, no Jardim Alvorada, em Americana, a vestir uma camiseta da unidade com a palavra “empréstimo” escrita nas costas. A mãe tinha avisado que iria adquirir a camiseta na última quinta-feira, data em que recebe o benefício do Bolsa Família.

A Secretaria Estadual de Educação diz que a prática é “inadmissível” e mandou a Diretoria Regional de Ensino abrir uma sindicância para apurar as responsabilidades – o resultado pode variar de advertência verbal até demissão. A Apeoesp (sindicato dos professores), em nota, repudiou a ação da escola.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Foto: Reprodução
Reprodução de vídeo feito pela mãe do garoto mostra a palavra “empréstimo” nas costas da camiseta

A mãe do menino se diz revoltada e afirma que o filho foi alvo de piadas dos colegas. Segundo ela, na terça-feira da semana passada, segundo dia de aula, o menino chegou em casa nervoso, dizendo que não voltaria à escola até que ela comprasse o uniforme.

Ao questionar o motivo, ele disse: “Estou tendo que usar um uniforme ridículo na escola.” Porém, ele não contou que a palavra empréstimo estava escrita nas costas – a camiseta fica na unidade quando o aluno vai embora. Dois dias depois, a sobrinha da mãe, que também tem filho na escola, disse que a direção tentou obrigar o aluno a também usar a camiseta e citou da palavra empréstimo nas costas.

Ela disse que sua sobrinha falou por telefone com a diretora e que esta mencionou que o objetivo era fazer as crianças “passarem vergonha mesmo, porque estão indo com celular de última geração na escola e não tinham R$ 30 para comprar uniforme”.

A mulher, de 41 anos, diz que pretende processar a escola por danos morais. Na sexta, a mãe do garoto relatou o caso no Facebook. Ontem, depois da repercussão, recebeu um bilhete na agenda do filho em que a direção lhe pede para conversar.

“Agora não adianta mais, porque o dano na cabeça dele já foi feito.” O garoto ganhou a camiseta do uniforme de conhecidos após o caso repercutir, diz a mãe, e voltou à escola.

Subsecretário interino de articulação da Secretaria Estadual de Educação, Henrique Pimentel Filho diz que o fato está em “total desacordo com as práticas” da pasta. Ele afirma que determinou que a escola pare de fazer isso imediatamente. “Nenhum aluno deve ficar exposto a nada que o constranja no ambiente escolar.”

A secretaria mandou abrir uma sindicância para apurar o caso. Enquanto isso, a diretora e outros funcionários continuam trabalhando.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

A trajetória do impasse em torno da lei municipal de incentivo ao esporte em Americana é o assunto desta edição do Além da Capa. Ouça:

{{1}}