Entregador impede golpe envolvendo celulares avaliados em R$ 26 mil

Golpe já havia sido aplicado de forma semelhante no mesmo local e pela mesma pessoa; ação envolvia estelionato em falsa compra de aparelhos celulares


Um entregador de uma transportadora conseguiu impedir um estelionato na tarde desta sexta-feira (14), ao reconhecer a golpista durante uma entrega na Rua Fortunato Faraone, na região do bairro Frezzarin, em Americana.

A estelionatária, uma mulher de 30 anos, foi presa em flagrante após tentar receber uma encomenda de 12 aparelhos celulares, avaliados em R$ 26 mil, que supostamente teriam sido comprados por uma corretora de seguros localizada na Rua Fortunato Faraone.

Foto: Arquivo / O Liberal
O caso foi registrado na CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana

O golpe em questão já havia sido aplicado no mesmo local no dia 18 de dezembro do ano passado. Naquela ocasião, a estelionatária teria utilizado documentos falsos e dados da empresa para encomendar os aparelhos telefônicos. Os pagamentos seriam feitos por boleto bancário, mas não chegaram a ser realizados de verdade.

Com informações sobre a entrega, a golpista estava na frente da corretora quando chegou a van da transportadora. Usando o mesmo documento falso utilizado na ocasião da compra fraudulenta, ela alegou ser funcionária da corretora, recebeu o pacote e chegou a entrar na empresa para despistar o entregador.

No interior do comércio, ela pediu um cartão e disse que entraria em contato mais tarde, enquanto esperava que a van da transportadora fosse embora para que ela pudesse fugir.

Entretanto, posteriormente o golpe foi descoberto e comunicado entre a empresas de telefonia, a transportadora e a corretora, que analisaram as imagens de câmeras de videomonitoramento e concluíram que a mulher, descrita como branca, loira e baixa, teria aplicado o golpe.

Nesta sexta-feira, em nova entrega, com encomenda semelhante e no mesmo local, o entregador reconheceu a mulher pela sua descrição física e conseguiu contê-la. Ela estava companhada por um homem, que fugiu.

A mulher foi reconhecida pelos proprietários e funcionários da corretora de seguros e também pelos funcionários da transportadora que atuavam no dia 18 de dezembro, primeira ocasião em que o golpe foi aplicado.

Ela será encaminhada para a Cadeia Pública de Monte Mor, onde aguardará audiência de custódia. Por enquanto, não há informações sobre outros golpes que podem ter sido praticados pelo mesmo grupo, além dos dois já citados. O caso será investigado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora