29 de junho de 2022 Atualizado 21:30

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Após sete anos, tarifa de táxi vai subir em Americana

Categoria pediu 25% de reajuste na tarifa; novos valores devem passar a valer a partir do dia 30 de maio

Por Ana Carolina Leal

20 de maio de 2022, às 20h37 • Última atualização em 20 de maio de 2022, às 22h23

A tarifa dos táxis deve ficar mais cara em Americana a partir de 30 de maio. Os valores foram publicados em decreto assinado pelo prefeito Chico Sardelli (PV), no último dia 12. O aumento de 25% atende pedido da categoria, que estava há sete anos sem reajuste.

Taxista há 30 anos e representante da classe em Americana, João Baobino dos Santos disse em entrevista ao LIBERAL que o o valor cobrado atualmente está defasado e que o aumento é necessário para suprir gastos como o preço do combustível, além da própria manutenção dos automóveis.

João Balbino afirmou que mesmo com o reajuste, a tarifa segue defasada, em função da inflação – Foto: Claudeci Junior / O Liberal

“Pedir reajuste da tarifa sempre foi um sofrimento, a gente não faz com prazer, mas por necessidade, para continuar trabalhando, para trocar o pneu do carro, para poder ter um veículo bom para o cliente. Então, chega uma hora que não tem jeito. E até que aguentamos sete anos”, declarou.

Apesar do aumento, Balbino diz que o percentual já está defasado, haja vista os índices de inflação. No último dia 11, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que a inflação de abril pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) atingiu 12,13% em 12 meses, no maior patamar desde 2003.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Não mexemos nem no valor da bandeirada, que é uma sustentação para nós quando o cliente chama de uma longa distância e vamos com o taxímetro desligado. Então, esse valor inicial da bandeirada dá um suporte, mas optamos por não reajusta-lo”, afirmou.

De acordo com o taxista, o reajuste ainda não passou a valer porque é necessário trocar as memórias dos taxímetros.

“O decreto foi enviado para o Inmetro [Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia], em Piracicaba, que elabora uma planilha e encaminha para as fábricas responsáveis por essas memórias. Estamos aguardando ficar pronta. A troca está prevista para dia 29 e aí passamos a cobrar os novos valores”, explicou.

Atualmente, o município tem 110 taxistas cadastrados, mas Balbino acredita que não tem mais do que 50 trabalhando. “Isso é resultado da concorrência desleal dos aplicativos e da defasagem dos preços. Alguns motoristas migraram para outras profissões e outros simplesmente pararam”.

Veja abaixo os novos valores

  • Bandeirada permanece R$ 6
  • Quilômetro rodado na bandeira 1 passa de R$ 3,40 para R$ 4,25
  • Quilômetro rodado na bandeira 2 passa de R$ 4 para R$ 5
  • Hora parada passa de R$ 24 para R$ 30
  • Valor do quilômetro rodado fora do perímetro urbano passa de R$ 2,88 para R$ 3,60
  • Valor por volume com mais de 60 centímetros de extensão passa de R$ 2,40 para R$ 3

Publicidade