26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Negociadores se esforçam para resgatar acordo de cessar-fogo em Gaza, após incidente mortal

Por Agência Estado

02 de março de 2024, às 14h29

Negociadores estão se reunindo em Cairo, no Egito, para tentar resgatar um plano de cessar-fogo em Gaza durante o mês sagrado islâmico do Ramadã, depois que forças armadas israelenses atiraram contra multidão de palestinos em meio a entrega de alimentos de um comboio de ajuda humanitária na quinta-feira, 28. O incidente mortal resultou em dezenas de mortes em Gaza e ameaças do Hamas de abandonar as negociações.

Com o desembarque de autoridades israelenses na capital egípcia no sábado, 02 e a chegada de uma delegação do Hamas e do Qatar no domingo, 03, espera-se que as conversações entrem em alta velocidade.

Contudo, os eventos mortais de quinta-feira, perto de um comboio de ajuda humanitária no norte de Gaza minaram o ímpeto das negociações nos últimos dias. O Hamas disse que Israel – cujos militares supervisionaram a entrega da ajuda humanitária – estava tentando se eximir da responsabilidade pelo que chamou de assassinato sistemático de palestinos. Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, o tiroteio matou mais de 100 palestinos.

Já Israel alegou que matou menos de dez pessoas quando suas tropas atiraram contra uma multidão de palestinos e que muitos foram mortos por pistoleiros palestinos ou pisoteados até a morte no caos do momento.

Os dois lados estão correndo para superar suas diferenças, já que a estrutura anterior para um acordo estabelecia um prazo até 10 de março, o início do Ramadã. As autoridades do Hamas disseram aos negociadores que, nos próximos dias, poderão propor novos números para a quantidade de prisioneiros palestinos que esperam receber em troca dos cerca de 40 reféns israelenses. Enquanto isso, espera-se que Israel entregue no sábado uma lista de prisioneiros palestinos de alto nível que não serão libertados.

Os EUA, o Egito e o Catar também estão se esforçando para manter as negociações em andamento, fornecendo mais ajuda humanitária a Gaza nos próximos dias. A esperança é lidar com a fome disseminada na região e apaziguar o Hamas, que tem dito repetidamente que as negociações de cessar-fogo dependem do aumento da ajuda humanitária, especialmente para a metade norte da Faixa de Gaza. Fonte: Dow Jones Newswires

Publicidade