23 de abril de 2024 Atualizado 17:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Região de Valparaíso

Chile: incêndios florestais deixam 131 mortos; 35 pessoas seguem desaparecidas

Presidente Gabriel Boric, anunciou novo pacote de apoio à população afetada pelos incêndios florestais

Por Agência Estado

11 de fevereiro de 2024, às 15h52 • Última atualização em 11 de fevereiro de 2024, às 16h38

Os incêndios florestais na região de Valparaíso, no centro do Chile, e em Viña del Mar, já deixaram ao menos 131 mortos, segundo dados mais recentes divulgados pelo Serviço Médico Legal (SML) do país. Entre as vítimas, 79 foram identificadas, segundo o SML. Mais de 3 mil casas foram destruídas pelos incêndios, de acordo com as autoridades chilenas. Cerca de 35 pessoas seguem desaparecidas, segundo a ministra do Interior, Carolina Tohá.

Incêndios em Valparaíso
Retirada de escombros em Valparaíso, no Chile – Foto: MINObras Chile / via fotospublicas

Neste domingo, 11, o presidente do Chile, Gabriel Boric, anunciou um novo pacote de medidas de apoio à população afetada pelos incêndios florestais. Boric informou que o governo pagará auxílio de emergência às famílias atingidas pelos incêndios para compra de materiais de construção e equipamentos – atualmente, 1,6 mil famílias estão cadastradas no serviço de emergência do país. Boric classificou os incêndios como “catástrofe” e destacou que há mais de 50 mil toneladas de escombros. Segundo o presidente, os incêndios florestais são a maior tragédia que o país enfrenta desde o terremoto de 27 de fevereiro de 2010.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, afirmou que o país está enviando apoio ao Chile, incluindo especialistas e equipamentos de combate a incêndios florestais. “Quando os incêndios florestais atingiram o Canadá no ano passado, o Chile intensificou-se para fornecer um apoio inestimável. Agora, em resposta aos incêndios florestais devastadores que afetam os nossos amigos chilenos, enviamos ajuda”, afirmou Trudeau, na rede social X (antigo Twitter). (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

Publicidade