16 de maio de 2021 Atualizado 23:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Bolsas de NY fecham sem sinal único, com balanços e Fed no radar

Por Agência Estado

26 abr 2021 às 17:55 • Última atualização 26 abr 2021 às 19:11

As Bolsas de Nova York fecharam sem sinal único, com S&P 500 e Nasdaq renovando recordes de fechamento, enquanto o Dow Jones ficou no negativo, pressionado, dentre outros, por Johnson & Johnson e Procter & Gamble. A semana começou com os investidores monitorando os balanços de importantes empresas e na expectativa pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na próxima quarta-feira.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,18%, em 33.981,90 pontos, o S&P 500 avançou 0,18%, a 4.187,62 pontos, e o Nasdaq subiu 0,87%, a 14.138,78 pontos.

“A recuperação em forma de V dos lucros corporativos está completa”, disse o CEO da Compound Advisors, Charlie Bilello, em sua conta no Twitter. Segundo ele, com 25% das empresas com resultados publicados, “os lucros do S&P 500 estão a caminho de atingir uma nova alta no primeiro trimestre, superando a alta anterior do terceiro trimestre de 2018”.

As ações da Tesla, que divulgou resultados depois do fechamento, tiveram alta de 1,21%. O Bank of America (BoFA) aponta que 40% das empresas listadas no S&P 500 tem balanços agendados para serem publicados nesta semana, e que a inflação “é o grande tema”, com as menções a preços tendo triplicado até o momento com relação ao mesmo período de 2020. Com divulgação marcada para terça, Microsoft (+0,15%) e Alphabet (+0,43%), que controla a Google, avançaram. Por outro lado, J&J (-0,72%) e P&G (-2,03%) tiveram alguns dos principais recuos do Dow Jones, após publicação de balanços na última semana.

Na expectativa pelo Fed, analistas convergem na avaliação de que a autoridade monetária não deve fazer grandes alterações em sua política, mas há expectativa por possíveis comentários do presidente da instituição, Jerome Powell, sobre inflação.

Após a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, sinalizar que americanos vacinados contra a covid-19 terão permissão para visitar os países da UE a partir de junho, as ações de companhias ligadas a turismo ganharam fôlego. Os papéis da American Airlines subiram (+4,41%), acompanhados de United Airlines (+1,26%), Delta Airlines (+1,77%) e Royal Caribbean (+1,32%).

Assim como na Europa, as mineradoras tiveram altas, em sessão marcada pelo avanço generalizado nos metais básicos. Southern Copper (+1,74%) e Freeport-McMoRan (+6,87%) foram alguns dos principais ganhos.

Nesta segunda-feira, o diretor da Conselho Econômico Nacional dos EUA, Brian Deese, afirmou que o aumento proposto no imposto sobre ganhos de capital afetaria quem ganha mais de US$ 1 milhão por ano, o que representa 0,3% dos contribuintes do país.

Publicidade