26 de fevereiro de 2021 Atualizado 11:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Butantan dobra funcionários para acelerar entrega de doses

Municípios e estados do país relatam escassez de doses, assim como interrupção do processo de vacinação

Por Marina Zanaki

17 fev 2021 às 14:49 • Última atualização 17 fev 2021 às 14:52

Municípios e estados do país relatam escassez de doses - Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste / Divulgação

O Intituto Butantan dobrou o número de funcionários envolvidos no processo de envase de doses da Coronavac, passando de 150 para 300 trabalhadores. O objetivo é acelerar a entrega do imunizante.

O setor de controle de qualidade também contará com 20 novos profissionais que se juntarão aos 300 trabalhadores que já atuam na capital paulista.

Municípios e estados do país relatam escassez de doses, assim como interrupção do processo de vacinação. Na região, Sumaré suspendeu a aplicação da primeira dose para idosos a partir dos 80 anos e profissionais de saúde.

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) disse que o Instituto está realizando uma força-tarefa para acelerar o envase do imunizante.

O tucano afirmou que o Butantan está atuando em esquema de 24 horas e sete dias por semana para atuar na produção das vacinas.

“Nossa orientação ao professor Dimas Covas (diretor do Instituto Butantan) é agilizar todos os processos para permitir que vacinas cheguem o mais rápido possível aos brasileiros. Lembrando que as doses são entregues em São Paulo ao depósito do Ministério da Saúde, que faz a entrega aos demais estados. Esperamos que o Ministério também aja com rapidez logística para que chegue rápido aos estados, cidades e ao braço dos brasileiros”, disse Doria.

Diretor do Butantan, Dimas Covas disse que a partir do dia 23 de fevereiro, o Instituto vai liberar 426 mil doses diárias ao Ministério da Saúde, e em oito dias alcançar o próximo lote de 3,4 milhões.

“Espera não parar mais porque não temos mais problema de matéria-prima. Devemos escalar a produção e a partir de abril dobrar, porque teremos à disposição a fábrica usada hoje para vacina da gripe. Todas essas iniciativas são no sentido que não faltem vacinas para todos os brasileiros”, finalizou Dimas.

Entrega é adiantada em um mês
Após assinar contrato com o Ministério da Saúde para a compra de 54 milhões de doses da Coronavac, o Instituto Butantan adiantou em um mês o prazo para entrega desses imunizantes. Previsto inicialmente para ser finalizado até o final de setembro, o cronograma foi adiantado para o final de agosto.

Publicidade