27 de outubro de 2020 Atualizado 12:38

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Sua Casa

Piso vinílico ou porcelanato

Conheça as principais diferenças para acertar na escolha do projeto

Por Da redação

26 set 2020 às 09:01

Diferente do que ocorre na comparação com os laminados, o piso vinílico e o porcelanato possuem diferenças visuais bastante evidentes, tornando um pouco mais fácil a identificação pelos consumidores desses tipos de piso.
Apesar dessa facilidade aparente ao identificá-los, muitas pessoas ainda se sentem inseguras em definir qual dessas duas opções seria a mais certeira, levando em conta não só atributos estéticos, mas principalmente a praticidade e o desempenho no dia a dia: afinal, piso vinílico ou porcelanato?

A primeira e mais evidente diferença entre pisos vinílicos e porcelanatos está na composição. Conhecer o que vai na ‘receita’ deles nos faz compreender melhor a estrutura desses pisos, pois são características que influenciam em diversos aspectos, como acústica, conforto, praticidade na limpeza, entre outros.

Escolha do piso ideal é fundamental para você e sua casa – Foto: Divulgação

O porcelanato é desenvolvido a partir de uma mistura de argilas, minerais e corantes, cuja queima da massa em fornos a gás garante uma peça de base compacta e rígida, além de formar uma superfície esmaltada com ampla variedade de padrões e cores em alta definição.

O piso vinílico, por outro lado, é feito de PVC, cargas minerais, plastificantes, pigmentos e aditivos, formando uma estrutura leve e flexível. Se você já ouviu falar dele como ‘piso emborrachado’, saiba que, apesar da flexibilidade, não há borracha na composição.

INSTALAÇÃO
A instalação é outro ponto que difere bastante pisos vinílicos e porcelanatos. Compreender essas diferenças ajuda a avaliar qual opção atende melhor a relação entre disponibilidade e necessidade de tempo e recursos, o que naturalmente pode variar muito de projeto a projeto.

O porcelanato é instalado por meio do assentamento das placas, que deve ser feito sobre o contrapiso nivelado utilizando argamassa. Após esse processo, é necessário aguardar por pelo menos 72 horas para iniciar a etapa de rejunte, que também exige mais três dias para secar. Ao comprar porcelanato, é importante não se esquecer das perdas e comprar de 10 a 15% a mais de material para compensar o que é perdido em quebras no corte das placas.

Já o piso vinílico tem instalação prática e limpa: o tempo de cura é muito menor e não há necessidade de quebra-quebra, uma vez que ele pode ser aplicado sobre outros pisos já existentes, como cimento desempenado, cerâmicas e porcelanatos com juntas de até 5 mm, desde que estejam preparados e nivelados com massa autonivelante. Para uma paginação convencional com placas e réguas, a margem extra para compensar as perdas costuma ser de 5%.

Os pisos vinílicos em placas, réguas e mantas são instalados usando adesivo específico. Para reformas ainda mais urgentes, existem opções como a Linha Click da Tarkett, com réguas encaixadas pelo sistema clique que dispensam o uso de adesivos e que podem ser instaladas em até dois dias.

Lembre-se: independente do material escolhido, é fundamental que a instalação seja feita por profissionais capacitados e que, de preferência, tenham experiência com o revestimento escolhido para uma instalação bem planejada e executada com acabamento perfeito.

Piso vinílico: instalação com adesivo de secagem rápida – Foto: Divulgação

Indicações de uso
O tipo e o uso de cada ambiente influenciam bastante na escolha do revestimento que será instalado, uma vez que os benefícios proporcionados por esses materiais podem ser potencializados de acordo com o espaço escolhido.

Dentro de casa, a busca por sensações de conforto e acolhimento ganham cada vez mais destaque. O piso vinílico é imbatível neste quesito porque vai além do visual ‘quente’ da madeira: ele entrega experiência tátil, conforto térmico e desempenho acústico superiores aos do porcelanato e outros pisos frios.

Esses benefícios colocam o piso vinílico em boa vantagem sobre o porcelanato na maioria dos ambientes internos, como por exemplo em quartos, cozinhas, salas e lavabos. Por outro lado, o piso vinílico não pode ser instalado em banheiros com chuveiro e em áreas externas, respectivamente, devido à presença abundante e frequente de umidade e à ação das intempéries.

Caso a procura seja por um piso que pode ser usado em área molhada, interna ou externa, como quintais, lavanderias e banheiros com chuveiro, o porcelanato é a melhor opção. Basta verificar se o modelo escolhido apresenta especificação adequada para esse uso.

Piso vinílico Petúnia Linha Essence® Coleção Heritage – Foto: Divulgação

Qual piso é mais fácil de limpar?
A praticidade na limpeza é um fator determinante para um dia a dia mais agradável, pois o menor tempo gasto nessa tarefa faz sobrar mais tempo para outras. Tanto o porcelanato quanto o piso vinílico são relativamente fáceis de limpar, mas as diferenças de procedimentos podem fazer você economizar.

Para limpar o piso vinílico, basta utilizar um pano ou mop com detergente neutro diluído em água. Isso faz do piso vinílico um revestimento que exige uma quantidade relativamente pequena de água e outros produtos para mantê-lo limpo e bonito.

Devido às tecnologias aplicadas à superfície do piso vinílico, tornando-a menos porosa e a ausência de rejuntes aparentes, o piso vinílico acaba sendo um pouco mais fácil de limpar no dia a dia do que o porcelanato.

No porcelanato, o detergente neutro diluído em água também é a fórmula mais comum para a limpeza diária, mas também são aplicados produtos como desinfetantes, água sanitária e até mesmo vinagre.

Um hábito comumente associado aos pisos frios é a lavagem utilizando a água da mangueira ou em baldes, o que até pode ser interessante nos pisos das áreas externas devido às grandes dimensões, mas não precisa ser frequente em ambientes internos, até porque uma limpeza diária bem-feita elimina esse consumo de água desnecessário.

Exceto os modelos clicados, todos os pisos vinílicos podem ser lavados, desde que não haja água empoçada após a limpeza. Outra dica é não usar produtos abrasivos ou a base de petróleo, pois eles causam uma reação química que acaba danificando o piso permanentemente.

Afinal, qual é o melhor piso?

Entre piso vinílico ou porcelanato, o melhor será aquele que atender o gosto e as necessidades de cada ambiente, agregando o maior número de benefícios. De uma maneira geral, o piso vinílico possui mais benefícios que as cerâmicas, pedras e laminados.

Apesar disso, mesmo entre cada tipo de piso, há subdivisões de categorias para ampliar o leque de onde o material como um todo pode ser utilizado. Entre pisos vinílicos, por exemplo, há diferenças entre modelos, formatos, texturas, padrões e cores que podem performar melhor em alguns projetos e ambientes do que em outros.

O segredo é combinar diferentes soluções desses revestimentos para encontrar o equilíbrio. Para isso, nunca hesite em buscar profissionais como arquitetos e designers de interiores para uma especificação certeira.

Fonte: Tarkett

Publicidade