24 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:17

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Bem-Estar

Exercícios físicos após cirurgia de quadril

Conheça os mais indicados e o momento certo de iniciar

Por Sheila Santos – Patwork

22 de novembro de 2023, às 09h53 • Última atualização em 22 de novembro de 2023, às 09h54

A prática de exercícios físicos é algo recomendado pelos médicos como parte da reabilitação dos pacientes após a artroplastia do quadril (cirurgia de colocação de uma prótese metálica ou substituição da articulação), a mesma realizada pelo presidente Lula no final do mês de setembro. O problema costuma atingir pessoas em diferentes faixas etárias, mas normalmente, afeta mais os idosos e os esportistas. Os esportistas têm muito mais chance de precisar de uma prótese de quadril do que os não esportistas.

De acordo com o médico ortopedista Lafayette Lage, introdutor no Brasil da artroscopia do quadril em 1993 e, também, um dos pioneiros na cirurgia de Resurfacing (recobrimento da superfície da cabeça do fêmur com uma “coroa da metal”) em 2003, o processo de recuperação dos pacientes que realizam esta cirurgia costuma ser de aproximadamente 4 meses, dependendo de cada caso. O médico alerta sobre a importância de exercícios no processo de reabilitação, mas é preciso considerar a condição de cada paciente e a prótese utilizada na cirurgia.

As próteses de quadril são dispositivos médicos específicos para substituir uma articulação de quadril lesionado ou desgastado, geralmente devido a condições como necrose infarto da cabeça do fêmur), vários tipos de artrite (doenças autoimunes), má formação do quadril no nascimento, pequenas deformidades anatômicas levando ao desgaste precoce principalmente nos atletas ( artrose secundária ao impacto do quadril , sequelas de infecção com destruição da cartilagem, sequelas de fraturas mal consolidadas da bacia por acidentes e, finalmente, fraturas do fêmur proximal (cabeça e ou colo do fêmur), principalmente nos idosos e portadores de osteoporose (perda da massa óssea). Elas são utilizadas para aliviar a dor, melhorar a função e restaurar a mobilidade nas pessoas que enfrentam problemas articulares graves. É considerada a melhor cirurgia da medicina perdendo apenas para a cirurgia da catarata.

A prótese de Resurface

Um estudo realizado pela revista HIP Internacional da Sociedade Européia de Quadril, em 2020, revelou a eficácia das próteses do tipo Resurfacing mediante avaliação de 11,3 mil pacientes com menos de 50 anos em 13 países. De acordo com a pesquisa, a sobrevida desse deste tipo de prótese é incomparável a qualquer outra prótese para os pacientes desta faixa etária que costumam ser muito mais ativos. Curiosamente, também se descobriu que os pacientes portadores das próteses de Resurfacing vivem mais, provavelmente, por levarem uma vida mais saudável.

Atividades físicas mais recomendadas

Os exercícios indicados para ambas os tipos de prótese são os de fortalecimento global da musculatura da cintura pélvica, coluna lombar, abdome e membros inferiores devendo evitar elevar o membro inferior operado esticado contra a gravidade quando estiver deitado, pois isso pode causar uma inflamação na virilha denominada de bursite do músculo ileopsoas.

Numa fase mais adiantada do tratamento, após cerca de 90 dias, exercícios mais extenuantes começam a serem feitos como se equilibrar sobre uma bola ou plataforma de equilíbrio para ganho de propriocepção e melhoria dos reflexos para evitar quedas. Estes exercícios mais intensos e difíceis são prescritos, principalmente, para os atletas, relata o Dr. Lafayette.

Publicidade