20 de junho de 2024 Atualizado 00:04

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Bem-Estar

Alergia alimentar: destaques para conhecer e se cuidar

Por Giulliano Esperança - TA Comunicação

08 de junho de 2024, às 14h58

Alergias alimentares afetam aproximadamente 10% das crianças até os dois anos de idade, e embora muitas possam superá-las, cerca de 2% dos adultos continuam a enfrentar essas condições. A crescente incidência de alergias alimentares no Brasil sublinha a necessidade de maior conscientização e educação.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Alimentos causadores de alergias: conhecendo os principais vilões

Leite

Principais proteínas causadoras: caseína, alfa-lactoalbumina e beta-lactoglobulina.

A tolerância pode se desenvolver até os cinco anos, mas a dieta deve ser ajustada para evitar deficiência de cálcio.

Ovo

Proteínas responsáveis: ovomucoide e ovoalbumina.

Necessidade de excluir tanto a clara quanto a gema da dieta.

Importante observar a presença de ovo em vacinas como as da febre amarela e gripe.

Soja

Comum em bebês e crianças, com tendência a desaparecer até os 10 anos.

Presença em diversos produtos, como temperos e alimentos congelados.

Castanhas

Aumento significativo de alergias a oleaginosas.

Reações podem surgir em qualquer fase da vida e tendem a persistir.

Sensibilidade a uma oleaginosa não implica necessariamente sensibilidade a outras.

Frutos do mar:

Camarão é o principal alérgeno, mas caranguejo, lagosta e peixes também são comuns.

Avaliação médica é essencial para determinar a segurança do consumo.

Amendoim

Alergia em ascensão, especialmente em idades precoces. Capaz de provocar reações persistentes.

Trigo

Alergia ao trigo não deve ser confundida com doença celíaca.

Proteínas do trigo podem desencadear reações alérgicas.

Excluir da dieta alimentos que contenham centeio, cevada e malte.

Alergia ao glúten

A alergia ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio, é uma condição distinta da doença celíaca. A doença celíaca é um distúrbio autoimune em que a ingestão de glúten leva a danos no intestino delgado, enquanto a alergia ao glúten provoca uma resposta alérgica que pode incluir sintomas como urticária, dificuldades respiratórias e anafilaxia. É essencial que pessoas com alergia ao glúten evitem todos os alimentos que contenham essa proteína e substituam por alternativas sem glúten, como arroz, milho e quinoa.

Intolerância a lactose

A intolerância à lactose, diferente da alergia às proteínas do leite, envolve a incapacidade de digerir a lactose, o açúcar presente no leite e seus derivados. Essa condição ocorre devido à deficiência de lactase, a enzima responsável pela digestão da lactose. Sintomas comuns incluem inchaço, diarreia e dor abdominal após a ingestão de produtos lácteos. Pessoas com intolerância à lactose podem consumir produtos sem lactose ou utilizar suplementos de lactase para ajudar na digestão.

Conscientização sobre alergia alimentar: oportunidade para aumentar o conhecimento sobre alergias alimentares e melhorar a qualidade de vida daqueles afetados. A educação é fundamental não apenas para os alérgicos, mas também para suas famílias, amigos e cuidadores. Com a identificação dos alimentos alérgenos e a busca por alternativas seguras, é possível viver de forma saudável e segura.

Fonte: Nutricionista Funcional Cris Ribas Esperança

Publicidade