27 de fevereiro de 2021 Atualizado 11:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Vasco pedirá anulação de jogo com o Inter por ‘VAR disfuncional’ não anular gol

Por Agência Estado

14 fev 2021 às 20:41 • Última atualização 15 fev 2021 às 15:50

Cada vez mais preocupada com o possível rebaixamento no Brasileirão, a diretoria do Vasco anunciar vai pedir na Justiça Desportiva a anulação do jogo com o Internacional, mesmo contrariando o que diz o regulamento da competição. A reclamação é pelo fato de o VAR não funcionar corretamente no momento do primeiro gol na derrota por 2 a 0, em São Januário, neste domingo.

O lance polêmico ocorreu com somente 9 minutos. Moisés cobra falta para a área e Rodrigo Dourado aparece livre para abrir o marcador. O árbitro ficou quatro minutos aguardando o VAR para saber se havia impedimento ou se Ricardo Graça dava condições.

Mas o assistente eletrônico estava “desalinhado” e valeu a marcação de campo. O auxiliar não viu impedimento e o gol acabou validado. Os cariocas, sobretudo através do técnico Vanderlei Luxemburgo, passaram a reclamar com insistência do lance e de qualquer polêmica no gramado.

Assim que o jogo terminou, o Vasco já agiu. Um ofício assinado pelo presidente Jorge Salgado foi anexado à súmula do jogo, afirmando que “VAR disfuncional não anula gol do Internacional em flagrante impedimento”. O documento estava com o ano de 2020 e erro no sobrenome do presidente: Sagado.

“O que presenciamos hoje em São Januário foi mais uma repetição do ultraje que tem sido a atuação da arbitragem da CBF em nossas partidas. Pediram para retirarem uma câmera da Vasco TV, ‘descalibraram’ a linha e ironizaram nosso treinador dizendo que avaliariam as imagens ‘de casa’. Já são 18 apitos contra o Vasco, em uma disparidade desrespeitosa em relação a qualquer outro time da competição. Estou acionando a CBF por telefone hoje para uma reunião esclarecedora. Vamos requerer na Justiça Desportiva a anulação desse jogo”, declarou Jorge Salgado.

O Vasco reúne provas para acionar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), mas dificilmente terá sucesso por causa do regulamento do Brasileirão. O protocolo da CBF diz que “quando houver qualquer problema técnico ou lance inconclusivo no VAR, prevalecerá a decisão de campo”. Justamente o ocorrido diante do Inter.

Publicidade