25 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Paulistão

Na estreia de António Oliveira, Corinthians quebra sequência negativa na temporada e respira

Equipe alvinegra venceu a Portuguesa por 2 a 0 neste domingo, com gols de Maycon e de Yuri Alberto

Por Agência Estado

11 de fevereiro de 2024, às 18h15 • Última atualização em 11 de fevereiro de 2024, às 18h27

O Corinthians voltou a vencer no Campeonato Paulista após cinco derrotas seguidas ao fazer 2 a 0 na Portuguesa neste domingo, na Neo Química Arena. A vitória começou com um gol de pênalti, feito por Maycon, após infração marcada sem titubear pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira em jogada de Fagner pela direita. O lance provocou discussão nas redes sociais imediatamente ao lance. As primeiras imagens mostravam uma “falta clara”, mas nas repetições ficou a dúvida do toque no lateral. Se aconteceu, não foi forte o suficiente para derrubar o jogador, que espertamente pulou para confundir e enganar a arbitragem. Os jogadores da Portuguesa não reclamaram. Aceitaram numa boa a decisão do juiz, que também não teve auxílio do VAR.

Maycon assumiu a responsabilidade e cobrou para marcar em Itaquera: 1 a 0. No segundo tempo, Yuri Alberto provou que não é “burro”, como dizia Mano Menezes, e marcou o segundo, tirando o time das últimas colocações do Paulistão e empurrando a Lusa para o buraco. Mesmo ganhando depois de cinco rodadas, o Corinthians mantém a lanterna do seu grupo, o C, com seis pontos em sete partidas. A fase de classificação tem 12 jogos. A Lusa amarga sua quinta derrota seguida. O time tem três pontos no Grupo A. A Portuguesa tem agora uma sequência de três partidas no Canindé.

Equipe alvinegra venceu a Portuguesa por 2 a 0, com gols de Maycon e Yuri Alberto, na tarde deste domingo
Yuri Alberto marcou o segundo gol do Timão – Foto: Everton Okubo / Agência F8 / Estadão Conteúdo

Não foi um jogo de encher os olhos, mas teve boas jogadas. Valia muito para Corinthians e Portuguesa no Campeonato Paulista. Os rivais de São Paulo tentavam se afastar das últimas posições na classificação geral. Havia um sentimento na arena em Itaquera de que o time corintiano “mudaria” sua condição na temporada. Em casa, diante da Fiel, a equipe de António Oliveira atacou mais e deu o contra-ataque para a Lusa. Pelo menos foi assim na primeira etapa.

Os donos da casa se valeram do seu gramado escorregadio em alguns momentos para afastar o perigo dos atacantes da Portuguesa. Dois dos principais jogadores do duelo, um de cada lado, deixaram o gramado machucados ainda no primeiro tempo. Pedro Raul foi o primeiro a sair para a entrada de Matías Rojas. O bom Chrigor também deixou a disputa e deu lugar para Henrique Dourado, mudando o esquema dos dois treinadores que faziam sua estreia. António Oliveira treinou dois dias antes de ficar em pé à beira do gramado em Itaquera. Situação idêntica a de Pintado.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O Corinthians foi melhor, com mais chances criadas e concluídas a gol. Uma delas, aos 27, Pedro Raul obrigou o goleiro Thomazella a fazer excelente defesa. A Lusa teve menos momentos de gol, mas não aceitou que o Corinthians lhe empurrasse para seu campo de defesa. O melhor jogador da primeira parte do jogo foi o atacante Wesley, com jogadas individuais pela esquerda e arremates com perigo. Foi dele o passe para Fagner no lance do pênalti. A Lusa tinha em Chrigor sua melhor opção ofensiva. Quando ele saiu, o time perdeu poder de fogo.

LUSA ASSUSTA NA VOLTA DO INTERVALO
Logo aos 5 minutos, num contra-ataque, a Lusa assustou. Felipe Marques recebeu em velocidade e ganhou da marcação no pique, mas chutou desequilibrado e mandou a bola para fora. Poderia ter carregado mais a bola e se aproximado de Cássio para escolher o canto. A Lusa voltou melhor para o segundo tempo, adiantou a marcação para impedir o rival de sair com tranquilidade. Wesley continuou sendo o jogador mais perigoso do ataque corintiano.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

O meio de campo do Corinthians funcionou melhor: não ficou exposto e Garros e Rojas foram mais participativos. O time também foi mais perigoso nas bolas aéreas, como no escanteio aos 20 com desvio de Raul Gustavo para fora. A Lusa martelava, mas não achava Cássio. Num contra-ataque, Yuri Alberto avançou sozinho, teve calma e mostrou que ele não é um jogador “burro”, como diz Mano Menezes. Com categoria, o atacante platinado marcou o segundo dos donos da casa e foi ovacionado pela torcida. Foi o segundo gol de Yuri Alberto na temporada. O gol acabou com as ambições da Portuguesa.

PRÓXIMA RODADA
O Corinthians volta a campo pelo Paulistão na quarta-feira, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, no Estádio Santa Cruz. A Lusa, que precisa vencer na competição, recebe no Canindé o Água Santa, um dia depois, na quinta.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 x 0 PORTUGUESA

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Félix Torres, Raul Gustavo e Caetano (Hugo); Raniele, Maycon (Fausto Vera) e Rodrigo Garro (Ryan); Yuri Alberto, Pedro Raul (Matías Rojas) e Wesley (Gustavo Mosquito). Técnico: António Oliveira.

PORTUGUESA: Thomazella; Yeferson Quintana, Patrick (Maceió) e Diogo Silva; Borel, Zé Ricardo, Dudu Miraíma (Ricardinho), Giovanni Augusto e Eduardo Diniz; Felipe Marques e Chrigor (Henrique Dourado). Técnico: Pintado.

GOLS – Maycon, aos 43 minutos do primeiro tempo; Yuri Alberto, aos 32 do segundo.

CARTÕES AMARELOS – Fagner, Raul Gustavo e Yuri Alberto (Corinthians); Dudu Miraíma, Ricardinho e Zé Ricardo (Portuguesa).

ÁRBITRO – Luiz Flávio de Oliveira.

RENDA – R$ 2.473.056,00.

PÚBLICO – 39.592 pagantes.

LOCAL – Neo Química Arena, em São Paulo.

Publicidade