17 de junho de 2024 Atualizado 12:38

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Marcelo Teixeira revela negociação de jogadores e reintegração de João Basso ao Santos

Por Agência Estado

11 de junho de 2024, às 14h50

As três derrotas seguidas na Série B do Campeonato Brasileiro obrigaram a diretoria do Santos a se movimentar para tentar recolocar a equipe no caminho das vitórias na competição. A primeira dessas medidas foi a reintegração do zagueiro João Basso, que estava emprestado ao Estoril, de Portugal.

O mandatário do clube disse que o retorno do defensor ao elenco principal foi definido somente após uma conversa envolvendo o técnico Fábio Carille e a sua comissão técnica.

“Existia a possibilidade de o Santos fazer um contrato de permanência do jogador na Europa. Mas conversamos com o Carille e com a comissão técnica e decidimos pela sua reintegração ao elenco. Ele vai ficar trabalhando com o grupo enquanto acompanhamos essas movimentações podendo permanecer na continuidade do Brasileiro”, afirmou o dirigente em entrevista ao canal “De olho no Peixe”.

Na conversa, Teixeira comentou sobre prováveis saídas que estão em curso no clube. De acordo com ele, o Santos estuda propostas para meia Nonato e o atacante Cazares.

“Está sendo feita uma negociação com o mercado internacional envolvendo o Nonato. Existe uma proposta do Japão e possivelmente ele será emprestado. Quanto ao Cazares, não é uma rescisão contratual, mas uma transferência. Temos dois clubes que disputam a Série A do Brasileiro, o outro da Série B”, comentou o dirigente.

Por fim, Teixeira revelou preocupação com essa queda de produção do time e confirmou que pediu a Alexandre Gallo, executivo de futebol, que marcasse posição após o revés do Santos diante do Novorizontino, pela última rodada da Série B.

“É importante que os profissionais venham a público para falar e se posicionar. O esclarecimento que é dado e a maneira como o processo está sendo feito. Por isso que decidimos, e eu particularmente recomendei, que ele viesse a público para falar em um momento como esse (de instabilidade). É um momento em que se exige a participação de um dirigente”, disse o presidente santista.

Publicidade