Esquiva Falcão recebe oferta irrecusável e lutará na China no dia 2 de fevereiro


Esquiva Falcão vai lutar dia 2 de fevereiro, em Haikou, na China, diante do chinês Ainiwaer Yilixiati. O brasileiro recebeu, nesta segunda-feira, uma oferta “irrecusável” do empresário Bob Arum. Sua bolsa pela participação no combate será cinco vezes maior do que as que recebeu anteriormente.

Em caso de vitória, o brasileiro tem a orientação de Arum para desafiar ainda em cima do ringue o japonês Ryota Murata, campeão pela Associação Mundial de Boxe. O duelo de Esquiva terá transmissão ao vivo para toda a Ásia. Nos Estados Unidos, o combate vai ser exibido pela ESPN, enquanto no Brasil ainda não há um canal com os direitos de imagem para exibir o embate adquiridos.

A luta de Esquiva será na véspera do Super Bowl, evento esportivo de maior audiência no mundo, e que também será transmitido pela ESPN. E uma vitória do brasileiro sobre Ainiwaer Yilixiati teria grande repercussão por todo os Estados Unidos.

O evento na China contará como luta principal a apresentação do invicto mexicano Gilberto Ramirez, que também é treinado por Robert Garcia. Esquiva não vai vir mais para o Brasil para passar as festas de fim de ano, como estava inicialmente programado que ocorreria. Bob Arum vai pagar as passagens da mulher e do filho do lutador nacional para os Estados Unidos, e assim o seu treinamento para este desafio não será interrompido neste período.

Esquiva vai viajar para a China duas semanas antes do combate e uma equipe de sparrings vai ser colocada à disposição do brasileiro, que é sexto colocado da Federação Internacional e Conselho Mundial de Boxe, assim como é o atual 15.º colocado no ranking da Organização Mundial de Boxe. Toda esta parte do treinamento vai ser acompanhada pelo conselheiro Sergio Batarelli.

Para evitar qualquer pressão fora do ringue, a pedido de Batarelli, Bob Arum garantiu que os três jurados da luta e o árbitro serão todos norte-americanos. Em caso de uma derrota contestada de Esquiva, o lendário empresário garante que a carreira do brasileiro não será prejudicada.

Yilixiati, de 26 anos, não está ranqueado em nenhuma organização importante do boxe mundial. Trata-se de um lutador com boa resistência e com boa pegada, mas sem a mesma experiência de Esquiva.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora