Chierighini supera campeão olímpico e é ouro nos 100m livre


Em uma noite na qual a natação do Brasil garantiu um total de sete medalhas, o brasileiro Marcelo Chierighini brilhou como principal destaque ao faturar a medalha de ouro da prova dos 100 metros livre dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, nesta quinta-feira, ao triunfar com o tempo de 48s09 na final desta tradicional prova na capital peruana. Ele superou por pouco o norte-americano Nathan Adrian, que ficou com a prata com 48s17, enquanto o bronze foi obtido por Michael Chadwick, também dos Estados Unidos, com 48s88.

Campeão olímpico desta prova nos Jogos de Londres-2012 e dono de outras quatro medalhas douradas olímpicas, Adrian defendia favoritismo na luta pelo ouro, sendo que ele é o principal nadador do seu país nesta edição do Pan. E compete na capital peruana depois de ter se recuperado de um câncer nos testículos.

“Estou muito feliz não só pela medalha, mas por estar há anos brigando por uma medalha numa competição internacional, fico mais feliz. Nesse ano, foi uma prova muito forte. O Adrian Nathan era um cara em quem eu me espelhava quando era criança, campeão olímpico. Muito legal vencer. É a prova que eu mais treino, a que eu mais gosto. Eu estou muito feliz”, afirmou Chierighini, em entrevista ao SporTV, pouco depois de conquistar o ouro.

E o brasileiro fez questão de exaltar Adrian, a quem qualificou também como uma grande pessoa. “O Nathan é exemplar dentro e fora da água. Não tem do que se queixar do cara. Ele é gente boa e educado. A gente sempre bate papo antes de prova, é uma rivalidade boa, sadia”, completou.

Outro brasileiro presente nesta final dos 100m, Breno Martins Correia terminou em quinto lugar, com o tempo de 49s14. Ele também ficou atrás do venezuelano Cristian Daniel Valero, quarto colocado, com 48s94.

GUIDO, VALENTE E REVEZAMENTO GANHAM PRATAS – Guilherme Guido também foi outro nadador do Brasil que subiu ao pódio na noite desta quinta-feira. Ele conquistou a medalha de prata na prova dos 100 metros costas, com a marca de 53s54, e só foi superado pelo norte-americano Daniel Carr, com 53s50. O bronze ficou com Dylan Carter, com 54s52. No fim, Guido acabou repetindo a prata que conquistou nesta mesma prova no Pan de Toronto-2015, no qual chegou a estabelecer o recorde da competição, com 53s12.

E outro brasileiro que fechou a noite de quinta-feira com uma medalha de prata no peito foi Miguel Leite Valente, que terminou em segundo lugar a final dos 800 metros livre. Ele cravou o tempo de 7min56s37 e superou por pouco o mexicano Ricardo Vargas, bronze ao marcar 7min56s78. Já o ouro foi obtido pelo norte-americano Andrew Abruzzo, que exibiu uma incrível arrancada no fim para triunfar com 7min54s70. O brasileiro Diogo Andrade, também presente nesta final, ficou em sexto lugar com o tempo de 8min03s17.

A outra medalha de prata do Brasil na noite desta quinta-feira veio com o revezamento 4x100m misto. O quarteto formado por Guilherme Guido, João Gomes Júnior, Larissa de Oliveira e Joana Diamante completou esta prova em 3min48s61 para terminar em segundo lugar. A equipe brasileira só ficou atrás da norte-americana, que garantiu o ouro com o tempo de 3min42s96, enquanto o time do Canadá levou o bronze com 3min49s97.

BRASILEIRAS LEVAM 3 BRONZES – Na versão feminina da prova dos 100 metros livre do Pan, o Brasil também garantiu um lugar no pódio com Larissa de Oliveira, que conquistou o bronze com a marca de 55s25. Ela só foi superada pela norte-americana Margo Usageer, ouro com 54s17, e a canadense Alexia Zvenik, prata com 55s04.

Após o seu feito, Larissa disse que poderia ter exibido um rendimento ainda melhor, mas exaltou o fato de que conseguiu se tornar a segunda brasileira a conquistar uma medalha nesta prova na história do Pan – Flávia Delaroli faturou a prata nos Jogos do Rio-2007.

“Nos tempos, acho que fiquei um pouco a desejar em relação ao que treinei. Mas a medalha tem que ser comemorada, encerramos um jejum de 12 anos. Então estou muito feliz”, comemorou a brasileira. E a outra representante do País nesta disputa por medalhas, Daynara Ferreira, terminou na sétima e penúltima posição, com o tempo de 56s88.

Etiene Medeiros, por sua vez, também faturou um bronze para a natação do Brasil em uma final na noite desta quinta-feira. Ela terminou em terceiro lugar nos 100m costas, com 1min00s67, enquanto o ouro foi obtido pela norte-americana Phoebe Bacon (59s47) e a prata assegurada pela canadense Danielle Hanus (1min00s34). A brasileira Fernanda de Goeij, também presente nesta final, fechou a prova em quinto, com 1min01s59.

E a outra nadadora do Brasil que conquistou um bronze em uma final individual na noite desta quinta-feira foi Viviane Jungblut. Ela ficou em terceiro lugar nos 800 metros livre. E a medalha acabou sendo histórica, pois o País nunca havia faturado um pódio nesta prova entre as mulheres em uma edição do Pan.

Viviane garantiu o bronze com o tempo de 8min36s04. Ela só ficou atrás da argentina Delfina Pignatiello, ouro de forma dominante, com 8min29s42, e da norte-americana Mariah Denigan, prata ao fechar a disputa em 8min34s18. Outra brasileira que participou desta final, Ana Marcela Cunha ficou em sétimo e penúltimo lugar, com o tempo de 8min48s33.

Com o desempenho desta quinta, são 19 medalhas do Brasil na natação deste Pan. E no quadro geral de medalhas em Lima-1019, o País se firmou ainda mais na segunda posição na classificação geral, com 35 ouros, 29 pratas e 51 bronzes, totalizando 115 pódios. Os Estados Unidos, com 84 ouros, 68 pratas e 55 bronzes, são os líderes disparados, com 207 ao total. O México (27-24-46) e um total de 97 ocupa o terceiro lugar.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora