Sem Deivid, suspenso do Dérbi 196, Guarani tem desempenho de rebaixado


Ausente do Dérbi 196 pelo terceiro cartão amarelo, Deivid apresenta números de talismã no Guarani a partir da sua contratação, em 30 de janeiro de 2019. Do anúncio oficial até agora, o volante não atuou em 14 jogos – seja por opção técnica, descanso, lesão ou suspensão -, mas o desempenho do time é terrível, a ponto de ser insuficiente para evitar rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro, principal competição do ano.

Sem o camisa 5, time campineiro contabiliza três vitórias, quatro empates, sete derrotas e 30,9% de aproveitamento. Dos confrontos em que esteve ausente, atleta perdeu oito compromissos, entre outubro e novembro do ano passado, graças à lesão muscular na coxa, sofrida no revés frente o Coritiba, no estádio Couto Pereira.

Além disso, ficou no banco em três oportunidades, curiosamente todas na condição de visitante: Mirassol (Paulista), CRB (Série B) e Londrina (Série B) – por indisciplina, se ausentou duas vezes, contra Bragantino e Oeste, ambos no Brinco de Ouro da Princesa, no segundo semestre.

“Sem sombra de dúvidas, Deivid é uma peça fundamental para a equipe, não só ele, como todos. Carpini vem dizendo que, independentemente de cartões amarelos ou suspensões, nós temos que olhar com outros olhos. Olhos de que as pessoas ou o escolhido para entrar no time tenha total capacidade e total autonomia e confiança do treinador para exercer a posição e a função do Deivid”, declarou o lateral Pablo, em coletiva nesta quinta-feira.

LADRÃO DE BOLA – Intocável com o técnico Thiago Carpini, Deivid é, de acordo com o Footstats, o segundo atleta com maior número de desarmes no Paulistão: são 30 ao todo, sendo 22 certos e oito errados. O jogador do Guarani só é superado, neste quesito, por Aderlan, lateral do Red Bull Bragantino, com 33.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora