Fluminense e Ceará empatam no Rio e aumentam jejum em jogo com gol de bicicleta


Em um jogo intensamente disputado, Fluminense e Ceará só empataram, por 1 a 1, nesta segunda-feira à noite, no Maracanã, no fechamento da décima rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Pedro e Tiago Alves, de bicicleta. O VAR ainda anulou um gol de Mateus Gonçalves que decretaria a virada da equipe visitante.

Com o resultado, os times não conseguiram quebrar o jejum de vitórias. A equipe carioca não ganha há cinco jogos, enquanto os cearenses somam quatro tropeços seguidos. Até por isso, ambos estão ameaçados de rebaixamento. O Fluminense chegou aos nove pontos, na 15ª colocação, e jogou o Cruzeiro, que tem saldo de gols pior, na zona de rebaixamento. O Ceará soma 11 pontos, em 14º lugar.

O JOGO – O primeiro tempo foi muito bom. O Fluminense dominou as ações, com destaque para a grande movimentação de Paulo Henrique Ganso, tanto na armação das jogadas como na chegada da área cearense.

Várias foram as oportunidades criadas pelo time das Laranjeiras. A primeira, logo aos seis minutos, teve início após lindo lançamento de Ganso para Caio Henrique, que teve bom desempenho nos 45 minutos iniciais. O defensor cruzou para Pedro cabecear com perigo. O colombiano Yony González teve três boas oportunidades, mas o goleiro Diogo Silva surgiu muito bem.

O Ceará jogou nos erros do Fluminense e forçou a marcação no campo do adversário para tentar quebrar o toque de bola característico do adversário. E ele veio aos 31 minutos, quando Daniel cobrou mal um escanteio. Felippe Cardoso puxou o contra-ataque e lançou João Lucas, que foi derrubado a um passo da grande área. Ricardinho bateu bem, mas Agenor fez grande defesa.

Os dois gols da primeira etapa vieram em falhas defensivas, após cobranças de escanteios. O Fluminense abriu o placar, aos 40, com Pedro. O gol foi ratificado pelo VAR, após o auxiliar marcar impedimento.

Após perder tantas chances no ataque, o Fluminense foi castigado aos 48 minutos. Confusão na área e a bola sobrou para Tiago Alves, que acertou bonita bicicleta para empatar a partida.

O segundo tempo foi ainda mais disputado. Aos oito minutos, João Pedro perdeu a bola, Galhardo fez lindo lançamento para Mateus Gonçalves, que marcou o segundo gol, na saída de Agenor. Mas o VAR flagrou Felippe Cardoso em posição irregular e o lance foi anulado, após cinco minutos.

Com o susto, o Fluminense se posicionou todo no campo do Ceará. A pressão foi muito grande. O time carioca chegou a ter quatro escanteios consecutivos. Ganso, que levou o terceiro cartão amarelo e está fora do clássico com o Vasco, no sábado, arriscou de longe e obrigou Diogo Silva a fazer boa defesa.

Fernando Diniz colocou o time ainda mais na frente ao trocar Yuri Lima por Marcos Paulo. A ofensividade abriu espaços para os contra-ataques cearenses. João Lucas, William Oliveira e Tiago Alves forçaram Agenor a fazer boas defesas.

O Fluminense não desistiu. Diogo Silva fez um milagre após cabeceio sensacional de Pedro, aos 41 minutos. Apesar dos berros de Fernando Diniz, o time seguiu na pressão, mas foi incompetente para conseguir a vitória nos dez minutos de acréscimos dados pela arbitragem.

Os times voltam a jogar no sábado. Enquanto o Fluminense pegará o Vasco, às 11 horas, em São Januário, o Ceará recebe o Palmeiras, às 19 horas, no Castelão.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 1 CEARÁ

FLUMINENSE – Agenor; Gilberto (Igor Julião), Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri Lima (Marcos Paulo), Daniel, Ganso e João Pedro (Miguel); Pedro e Yony González. Técnico: Fernando Diniz.

CEARÁ – Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho, Ricardinho, William Oliveira (Fernando Sobral) e Thiago Galhardo (Felipe Baxola); Rick (Mateus Gonçalves) e Felippe Cardoso. Técnico: Enderson Moreira.

ÁRBITRO – Douglas Marques das Flores (SP).

CARTÕES AMARELOS – Fabinho, Diogo Silva, Ganso e Nino.

RENDA – R$ 650.145.00.

PÚBLICO – 21.810 pagantes (23.484 total).

LOCAL – Maracanã, no Rio (RJ).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora