Atlético-MG muda postura e bate Villa Nova por 3 a 1 na estreia de Jorge Sampaoli


A tão aguardada estreia do técnico Jorge Sampaoli foi marcada por uma vitória tranquila do Atlético-MG em cima do Villa Nova por 3 a 1, neste sábado, no estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte, pelo Campeonato Mineiro. O time ainda mostrou várias deficiências, mas houve muito empenho dos jogadores e uma disposição ofensiva, bem ao estilo do argentino.

Os atleticanos seguem atrás da liderança do Estadual, ficando após esta nona rodada com 18 pontos, em segundo lugar, dois pontos atrás do Tombense, que venceu em casa a Caldense por 2 a 1. O Villa Nova, com quatro, ocupa a perigosa 10.ª posição, brigando contra o rebaixamento, só na frente de Coimbra (também quatro) e Tupynambás, com 2, porém ambos com um jogo a menos.

Desta vez, o inquieto Jorge Sampaoli nem precisou ficar de pé na linha lateral porque o banco de reservas fica a um metro do campo no conhecido Alçapão do Bonfim. O técnico, porém, fez questão de se aproximar dos jogadores e pegou uma cadeira, de onde viu o jogo. Curioso também que, embora os portões estivessem fechados, muitas pessoas viram o jogo de janelas e telhados de vizinhos do estádio.

O argentino já mudou a escalação do Atlético-MG em sua primeira semana de trabalho. O goleiro Rafael, ex-Cruzeiro, aos 30 anos, fez a sua estreia como titular. E foi o mais cobrado pelo técnico que insistiu na rápida saída de bola na defesa e, consequentemente, exigindo que o goleiro usasse bem os pés. No ataque, ele optou por dois centroavantes: Di Santo e Ricardo Oliveira.

Desta forma, o Atlético-MG alcançou a sua quinta vitória com facilidade. O primeiro gol saiu logo no primeiro minuto, quando Nathan apenas rolou para o chute de Di Santo. Apesar da qualidade ruim do gramado, o time alvinegro manteve a pressão na frente e criou mais chances para ampliar. O segundo gol foi marcado por Savarino em um bela virada de perna esquerda, após chute de Hyoran que tocou no goleiro e no travessão aos 42.

No começo do segundo tempo saiu o terceiro gol. Aos 11 minutos, após boa triangulação dentro da área, o lateral-esquerdo Guilherme Arana apareceu para chutar e marcar. Aos 15, Ricardo Oliveira sofreu pênalti do goleiro Ricardo Vilar, que saiu do gol com o pé bem no alto. Dois minutos depois, o mesmo centroavante bateu e o arqueiro caiu no canto direito para espalmar e evitar o gol.

Quem não faz, toma. O Villa Nova diminuiu aos 25 minutos, quando David apareceu sozinho na frente de Rafael e só tirou do goleiro. A bola seguia em direção ao gol, mas para completar Zé Eduardo estufou as redes. Aos 33, Guilherme Arana foi expulso ao cometer falta e receber o segundo cartão amarelo.

Com um jogador a menos, Jorge Sampaoli fez o simples: tirou o atacante Savarino para recompor a defesa com o lateral-esquerdo Fábio Santos. O Villa Nova ainda tentou diminuir, mas o Atlético-MG tocou a bola até o apito final.

Na próxima rodada, se ela acontecer devido ao coronavírus, o Atlético-MG vai ter o clássico contra o América-MG, no próximo domingo, às 16 horas, no estádio Independência, em Belco Horizonte. O Villa Nova vai tentar evitar a sua oitava derrota fora de casa diante do Uberlândia, no mesmo dia, às 10 horas, pela 10.ª rodada.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora