Aproveitamento de 39% após a Copa América desafia Felipão

Eliminado da Copa Libertadores e da Copa do Brasil nas últimas semanas, equipe busca reação na temporada para evoluir na luta pelo Brasileirão


O Palmeiras tentará nos próximos dias desvendar o maior mistério sobre o time nesta temporada. Eliminado da Copa Libertadores e da Copa do Brasil nas últimas semanas, o clube vai em busca de explicações sobre como tinha 79% de aproveitamento de pontos no ano antes da parada para a Copa América, em junho, e passou a ter depois do torneio um rendimento bem pior, de apenas 38%, nos compromissos oficiais.

A queda brusca no aproveitamento na comparação entre as duas partes da temporada deixa o elenco em alerta. O técnico Luiz Felipe Scolari cobrou depois da queda diante do Grêmio, na terça-feira, a necessidade de o clube reagir. “Temos lições ano a ano. Temos a lição do Cruzeiro no ano passado, do Inter neste ano na Copa do Brasil, e agora mais essa. Ou aprendemos ou vamos ser derrotados em competições disputadas desta forma. Cabe a nós, técnicos, dirigentes e jogadores, entendermos que precisamos disso e buscarmos uma situação melhor”, afirmou.

Foto: Cesar Greco / Agência Palmeiras / Divulgação
Técnico do Palmeiras precisa corrigir erros e fazer a equipe reagir na temporada para tentar buscar o título do Brasileirão

O resultado negativo dentro de casa mexeu com o clube na reapresentação, na tarde desta quarta-feira. Os jogadores voltaram a treinar na Academia de Futebol enquanto do lado de fora viaturas da polícia faziam a segurança. Apesar do temor de protestos violentos, o elenco treinou com tranquilidade e iniciou a preparação para enfrentar o Flamengo, no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

A pressão para reagir será grande principalmente sobre Felipão. Pela primeira vez desde o retorno dele ao clube, ano passado, ele estará no foco de um insucesso. Em ocasiões anteriores, a culpa ficou mais concentrada em jogadores pelos erros individuais, como foi o caso das eliminações nos pênaltis na Libertadores, de 2017, e no Paulista e Copa do Brasil deste ano.

Felipão já teve de lidar com o descontentamento da torcida nos dias seguintes à eliminação na Copa do Brasil, diante do Inter, em julho. Ao minimizar o resultado e dizer que “ninguém morreu”, o treinador despertou a ira de parte da torcida organizada, a Mancha Alviverde. O clube foi alvo de protestos dias depois justamente com questionamentos sobre a declaração do treinador.

Nesta quarta-feira, a organizada voltou a pedir a saída do treinador. “E se fizer um favor de sair, não sentiremos falta. Seus feitos serão lembrados, mas o presente não é o passado. Muito obrigado!”, escreveu a torcida na página oficial do Facebook. No Pacaembu, na terça, boa parte dos palmeirenses gritou “time sem vergonha” após o apito final da derrota para o Grêmio.

A queda de rendimento no período após a Copa América consolida para o Palmeiras uma temporada inferior à de 2018 nas competições de mata-mata. No ano passado, o time foi finalista do Estadual e semifinalista tanto da Copa do Brasil como da Libertadores. Desta vez, em 2019, a equipe alviverde terminou a campanha nessas três competições em fases anteriores às alcançadas.

Daqui para frente o Palmeiras terá apenas o Campeonato Brasileiro como compromisso. Restam 23 jogos para o time disputar. A equipe acumula seis rodadas consecutivas sem vitória na competição e recentemente caiu para o terceiro lugar. “Vou tentar corrigir algumas coisas para que a gente possa ter um jogo normal contra o Flamengo e seguir em frente no Brasileiro em condições de disputar o título”, comentou Felipão.

A expectativa é nas próximas rodadas a equipe promover em algumas mudanças, principalmente em setores com falhas. O ataque deve ter o atacante Luiz Adriano como titular, após o jogador ter se destacado nos confrontos com o Grêmio, pela Libertadores. O recém-contratado Henrique Dourado aguarda oportunidade para reestrear pela equipe.

A defesa, antes considerada o ponto mais forte do clube, vive um momento de instabilidade, ao ter sofrido seis gols nos cinco últimos compromissos. Outro recém-contratado, o zagueiro Vitor Hugo deve assumir uma vaga de titular ao lado do paraguaio Gustavo Gómez. A expectativa é por uma presença maior do meia Ramires como titular. O jogador que veio do futebol chinês só disputou duas partidas pela equipe, pois sofreu uma lesão.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora