27 de maio de 2024 Atualizado 22:04

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Brasileira vence GP Brasil Cuiabá com recorde no lançamento do dardo

Por Agência Estado

16 de maio de 2024, às 09h09

Jucilene Sales de Lima foi destaque no Grande Prêmio Brasil – Cuiabá de atletismo nesta quarta-feira. Ela venceu o lançamento do dardo com 62,52m, novo recorde do campeonato. A marca anterior, de 62,33m, pertencia à cubana Osleidys Menéndes desde 2006. Jucilene também é recordista brasileira com 62,89m.

“Foi a minha melhor marca do ano, fiquei a poucos centímetros do recorde brasileiro. Agora é tratar e ver o que é essa panturilha que está me incomodando”, disse Jucilene, a Nega Ju, que após sentir dor na perna não fez o último lançamento.

Nos 110 m com barreiras, Rafael Pereira e Eduardo de Deus levaram ouro e prata, com 13s51 e 13s66. No sábado, no Ibero-Americano, os brasileiros fizeram o pódio invertido. Eduardo de Deus chegou, inclusive, a correr abaixo do índice olímpico, com 13s24, mas vento estava acima do permitido (2,8 m/s).

“Tive uma boa aceleração, erro na quarta barreira, mas melhorei o meu final. O tempo não foi ruim com vento válido”, disse Rafael Pereira, que conseguiu seu melhor tempo na temporada. “Tive uma boa saída, com boa aceleração, mas não fiz uma boa chegada. Acho que estava cansado dos tiros do fim de semana”, disse Eduardo de Deus. Os dois competem no GP Brasil – Niterói, no domingo.

No arremesso de peso, Darlan Romani fez todas suas tentativas acima dos 20 metros e venceu com 21,03m. Darlan foi atrapalhado pela dengue que o tirou 15 dias dos treinos. “Fiquei parado, e a volta teve de ser com calma. Fiquei muito mal, perdi cinco quilos de massa muscular. O jeito é voltar devagar para o corpo responder”, disse Darlan, que também compete em Niterói no domingo.

A medalha de prata foi para Welington Silva Morais, o Maranhão, com 20,53m. “Estava esperando mais porque venho de boas semanas de treinos. É trabalhar, colocar a cabeça no lugar e continuar com o foco nos Jogos Olímpicos de Paris.”

Publicidade