Comissário da NBA por 3 décadas, David Stern morre aos 77 anos – O Liberal

Comissário da NBA por 3 décadas, David Stern morre aos 77 anos


David Stern, que foi comissário da NBA por 30 anos e supervisionou o crescimento e transformação da liga em uma potência global, morreu nesta quarta-feira. Ele tinha 77 anos.

Stern sofreu uma hemorragia cerebral em 12 de dezembro e foi submetido a uma cirurgia de emergência. A liga disse que ele morreu com sua esposa, Dianne, e sua família ao lado da cama.

“Toda a comunidade de basquete está com o coração partido”, disse a Associação Nacional de Jogadores de Basquete. “David Stern conquistou e mereceu a inclusão em nossa terra de gigantes”.

Stern esteve envolvido com a NBA por quase duas décadas, antes de se tornar seu quarto comissário em 1º de fevereiro de 1984. Quando deixou seu cargo em 2014, viu a liga transformada em uma indústria que gera mais de US$ 5 bilhões (aproximadamente R$ 20 bilhões) por ano e fez do basquete da NBA o esporte mais popular do mundo depois do futebol.

“Por causa de David, a NBA é uma marca verdadeiramente global – tornando-o não apenas um dos maiores comissários esportivos de todos os tempos, mas também um dos líderes empresariais mais influentes de sua geração”, disse Adam Silver, que sucedeu Stern como comissário. “Todo membro da família da NBA é beneficiário da visão, generosidade e inspiração de David.”

Em três décadas com Stern, a NBA transformou incontáveis jogadores em celebridades conhecidas mundialmente por um nome, como Magic, Michael, Kobe e LeBron. Stern participou de quase todas as iniciativas para ampliar a popularidade da NBA, desde o programa antidoping até a implementação do teto salarial, passando também pela criação de um código de vestimenta.

Ele supervisionou o nascimento de sete novas franquias, a criação da WNBA e da Liga de Desenvolvimento da NBA, hoje G League, oferecendo inúmeras oportunidades para novas carreiras no basquete.

Stern foi advogado da liga de 1966 a 1978 e passou dois anos como consultor geral da NBA. Depois de servir como vice-presidente executivo de negócios e assuntos jurídicos da liga de 1980 a 1984, ele substituiu Larry O’Brien como comissário.

Negligenciada e ignorada apenas alguns anos antes, quando não conseguia nem ter a final transmitida pela TV ao vivo, a NBA viu sua popularidade aumentar rapidamente graças ao renascimento da rivalidade entre Los Angeles Lakers e Boston Celtics, inspirada por Magic Johnson e Larry Bird, seguida pelo surgimento de Michael Jordan apenas alguns meses depois que Stern se tornou comissário.

Sob Stern, a NBA faria quase 150 jogos internacionais e seria televisionada em mais de 200 países e territórios, e em mais de 40 idiomas, e as finais da NBA e o fim de semana do All-Star Game se tornariam espetáculos internacionais. O All-Star de 2010 atraiu mais de 108 mil torcedores para o Dallas Cowboys Stadium, um recorde de público para um jogo de basquete.

Ele foi um protetor dos jogadores e árbitros quando sentiu que eram injustamente criticados, como quando os membros do Indiana Pacers brigaram com torcedores do Detroit Pistons em 2004, ou quando uma investigação do FBI em 2007 descobriu que Tim Donaghy havia apostado em jogos que ele apitava.

Mas também era um negociador incansável e sua lealdade aos proprietários e o compromisso de obter acordos favoráveis levaram a seus maiores fracassos, como as greves de 1998 e 2011.

Quando deixou der ser comissário, Stern permaneceu ocupado, fazendo viagens ao exterior em nome da liga, falando em público e dando consultorias para várias empresas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora