22 de janeiro de 2021 Atualizado 19:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Atriz

Grace Gianoukas se diverte com a excêntrica Teodora

Exibida originalmente em 2016, “Haja Coração” voltou a ocupar a faixa das sete por conta da pandemia

Por Geraldo Bessa / TV Press

03 jan 2021 às 08:14 • Última atualização 03 jan 2021 às 09:43

No final dos anos 1980, Grace Gianoukas já estava extremamente envolvida com teatro e, mesmo sem vontade de investir na tevê, separava um momento de seu dia para acompanhar as situações cômicas de “Sassaricando”.

Quase três décadas depois, ela é só orgulho de ter feito parte de “Haja Coração”, novela livremente inspirada na trama de 1988, na qual viveu a exagerada Teodora. Exibida originalmente em 2016, o folhetim voltou a ocupar a faixa das sete por conta da pandemia.

De forma esporádica, Grace acabou trabalhando em novelas da Globo, SBT e Record ao longo dos anos: laços se estreitaram em Haja Coração – Foto: Divulgação

“Estava querendo fazer coisas diferentes e a possibilidade de participar dessa homenagem a ‘Sassaricando’ me pareceu perfeita. Passei no teste e ainda fiquei com uma das minhas personagens favoritas. Além da alegria dos bastidores, a Teodora me apresentou para os quatro cantos do Brasil. É um papel que acabou redefinindo minha carreira”, valoriza.

Gaúcha da pacata Rio Grande, Grace tinha 20 anos quando resolveu se mudar para São Paulo para viver de teatro. A estreia nos palcos foi em “Acre vai à Rússia”, de Élcio Rossini, mas seu tino para a escrita e produção a conduziu para projetos mais autorais. Algumas de suas criações acabaram a levando para a tevê, onde estreou fazendo diversos personagens no “TV Mix”, da TV Gazeta de São Paulo.

De forma esporádica, Grace acabou trabalhando em novelas da Globo, SBT e Record ao longo dos anos. Até que “Haja Coração” acabou estreitando de vez os laços da atriz com os estúdios, que nos últimos anos se destacou em produções como “Orgulho e Paixão”, “Vai Que Cola” e “Salve-se Quem Puder”. “A tevê é um lugar de ótimos encontros. Exige muita entrega e dedicação. Demorei a tomar gosto, mas também acho que tudo aconteceu no momento certo”, analisa.

Antes de “Haja Coração” sua presença na tevê era esporádica. Por ter uma forte bagagem teatral, você nutria algum tipo de preconceito com o vídeo?

Grace Gianoukas
Nem um pouco. Acho que foi um desencontro mesmo. Ao longo da minha carreira, fiz coisas na Cultura, participei de novelas da própria Globo e também da Record e SBT. Só que, no início dos anos 2000, criei um projeto de humor chamado “Terça Insana”, com base em São Paulo, mas que ganhou o Brasil. Vivia viajando e não conseguiria assumir qualquer outro compromisso profissional. Em 2015, estava me sentindo muito engessada e comecei a me abrir para outras oportunidades. Neste momento, fiquei sabendo dos testes para “Haja Coração”.

A Teodora seria apenas uma participação e sua morte era um dos mistérios da trama original. O que você acha que manteve a personagem na história?

Grace
A boa resposta do público, com certeza. Já entrei sabendo que não ficaria por muito tempo. Mas estava muito feliz em fazer parte de um projeto que faria uma releitura de “Sassaricando” (1988), uma das minhas novelas favoritas. Com essa personagem pude sentir o que muitos atores já tinham me falado sobre o reconhecimento nacional que a tevê pode agregar.

Você chegou a se inspirar na versão da Teodora defendida pela Jandira Martini nos anos 1980?

Grace
Sou fã demais da Jandira e de todo o trabalho de comédia feito em “Sassaricando”. Mas os tempos são outros e fiquei receosa de ficar meio fora do tom. Comecei tudo do zero e, a partir do novo texto do Daniel Ortiz (autor) e seguindo as orientações do Fred Mayrink (diretor), sugeri algumas figuras públicas como referência de estilo para a personagem, mulheres chiquérrimas como a Carmem Mayrink e a cantora Maria Callas. Para minha surpresa, essas também eram as referências da equipe de caracterização da novela. Tudo casou perfeitamente.

A versão especial de “Haja Coração” exibe cenas inéditas que tinham sido feitas à época para um spin-off da novela exibido no Gshow, que mostrava o que havia acontecido com Teodora após o acidente de helicóptero. O que achou dessa nova edição?

Grace
Achei uma sacada incrível. São sequências hilárias e que mereciam chegar a um público maior. Teodora cai no mar com a explosão, espanta a tapas um tubarão que queria devorá-la, perde um dedo e é resgatada por um nativo lindíssimo. É um jeito muito peculiar dela descobrir o verdadeiro amor. Além de humanizar a personagem, essas cenas extras dão um ar de novidade à produção.

Você voltou a trabalhar com o Daniel e o Fred em “Salve-se Quem Puder”, novela que teve de sair do ar por conta da quarentena. Como você encarou essa pausa e retorno aos estúdios?

Grace
A novela estava fazendo sucesso e desenvolvendo seus principais dramas quando tudo parou. Foi a coisa certa a se fazer, mas fiquei com muita saudade da Ermelinda. As gravações foram retomadas em agosto. Apesar do receio em retornar aos estúdios, tudo correu bem, com todos unidos em prol do bem da história. Ermelinda volta em um clima romântico, com o coração dividido entre dois pretendentes. Ambiente perfeito para muitas confusões e risadas.

Publicidade