02 de março de 2024 Atualizado 19:29

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Caso Brent Sikkema: polícia pede prisão de ex-marido acusado de ser mandante de assassinato

Por Agência Estado

09 de fevereiro de 2024, às 14h50 • Última atualização em 09 de fevereiro de 2024, às 17h30

A polícia pediu a prisão preventiva de Daniel Sikkema, ex-marido de Brent Sikkema, acusado de ser mandante do assassinato do galerista norte-americano. As informações foram confirmadas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro ao Estadão nesta sexta, 9.

Brent, dono da famosa galeria de arte Sikkema Jenkins & Co, em Nova York, foi encontrado morto com ferimentos de arma branca no Rio de Janeiro. Anteriormente, a polícia do Rio tratava o crime como latrocínio, o roubo seguido de morte.

O Estadão tenta contato com Daniel Sikkema para um pronunciamento sobre a acusação, mas ainda não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Conforme a polícia, a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) concluiu o inquérito na última quarta-feira, 7, e indiciou o ex-marido, além do suspeito de cometer o crime, o cubano Alejandro Triana Prevez. Ele havia sido preso no dia 18 de janeiro em Minas Gerais.

Alejandro foi indiciado como autor do assassinato. Já Daniel foi acusado de ser o “autor intelectual e principal interessado no crime”. A DHC encaminhou o inquérito ao Ministério Público, pedindo a prisão preventiva dos dois. Segundo o Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), o processo corre em segredo de justiça.

Em nota, o MPRJ confirmou ter oferecido a denúncia e ter pedido a prisão preventiva dos suspeitos. Segundo o órgão, Daniel é acusado de homicídio e Alejandro responderá por homicídio e furto qualificado. Leia a nota completa:

“O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada do Núcleo Rio de Janeiro, confirma que ofereceu denúncia e requereu a prisão preventiva do mandante e do executor do assassinato de Brent Sikkema. O mandante do crime, Daniel Sikkema, foi denunciado por homicídio, enquanto o executor, Alejandro Prevez, responderá por homicídio e furto qualificado.”

Relembre o caso

Brent G. Sikkema foi encontrado morto em um apartamento no Rio de Janeiro em janeiro. Ele tinha 75 anos. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros ao Estadão.

Segundo os bombeiros, Brent foi encontrado sem vida em um imóvel localizado na Rua Abreu Fialho, na altura do número 15, no Jardim Botânico. A ocorrência foi registrada às 23h05. O galerista sofreu ferimentos de arma branca.

Ele fundou a Sikkema Jenkins & Co. em 1991. À época, o local se chamava Wooster Gardens e ficava localizado na Wooster Street, no SoHo. Em 1999, a galeria migrou para a localização atual, na 530 West 22nd Street.

Brent começou a trabalhar com exposições artísticas em 1971, época em que atuou como Diretor de Exposições no Visual Studies Workshop, em Rochester. Em 1976, Brent abriu sua primeira galeria.

A Sikkema Jenkins & Co. não exibe apenas pinturas e se dedica também à exposição de fotos, esculturas e instalações. Dentre os nomes presentes na galeria, estão os renomados Vik Muniz, Arturo Herrera, Sheila Hicks e Jeffrey Gibson.

Publicidade