Paço das Artes inaugura sede definitiva com exposição de Regina Silveira – O Liberal

Paço das Artes inaugura sede definitiva com exposição de Regina Silveira


No dia do aniversário de São Paulo, 25 (sábado), o Paço das Artes, instituição dedicada à difusão de trabalhos artísticos experimentais, ganha sua sede definitiva em seus 50 anos. Demorou, mas valeu a pena a espera. As novas instalações do Paço ficam num casarão ao lado do Shopping Pátio Higienópolis, que era da Secretaria de Segurança Pública. Embora ocupe apenas uma parte do casarão, é um endereço atraente: por lá passam os frequentadores do shopping – que terão acesso direto por uma escada lateral ao Paço.

A primeira exposição do Paço das Artes é dedicada a uma veterana da arte experimental, a artista gaúcha (residente há vários anos em São Paulo) Regina Silveira, que, no último dia 18, completou 81 anos em plena atividade. Frequentadora do circuito internacional – mostras no Reina Sofia, entre outros museus -, ela ganha este ano, além dessa individual no Paço, uma retrospectiva no Museu de Arte Contemporânea da USP (em setembro) dentro da programação da 34ª Bienal de São Paulo.

Priscila Arantes, curadora e diretora artística do Paço desde 2007, diz que não poderia escolher outro nome para inaugurar sua sede. “O Paço das Artes sempre apoiou artistas experimentais e o convite para Regina Silveira expor confirma nossa vocação de buscar sempre trabalhos pioneiros”, justifica. A história pessoal da artista não deixa dúvidas: aluna do maior pintor gaúcho contemporâneo, Iberê Camargo (1914-1994), sua obra segue na trilha aberta pelo artista francês Marcel Duchamp (1887-1968) – questionadora, inventora de novos códigos. Tanto que, em 1983, ao pintar no chão sombras pantagruélicas e distorcidas de peças de Duchamp, ele criaria uma série (Anamorfas) à qual seu nome ficou associado.

No novo Paço das Artes, Regina vai mostrar obras que remetem às Anamorfas, entre elas o site-specific Cascatas, que dialoga com o espaço arquitetônico do Paço, projetando no chão as janelas originais do casarão.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora